Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
9

Ryanair diz que todos os passageiros com voos cancelados foram notificados

Cancelamento de 2.100 ligações até ao final de outubro vai afetar 315 mil passageiros.
Lusa 20 de Setembro de 2017 às 15:39
Avião da Ryanair
Ryanair
Avião da companhia Ryanair
Ryanair
Ryanair
Avião da Ryanair
Ryanair
Avião da companhia Ryanair
Ryanair
Ryanair
Avião da Ryanair
Ryanair
Avião da companhia Ryanair
Ryanair
Ryanair

A Ryanair informou que os 315 mil passageiros afetados pelos voos cancelados até ao final de outubro foram notificados e mais de metade deverão ter ainda esta quarta-feira viagens alternativas marcadas.

Em comunicado, a companhia aérea irlandesa 'low cost' (baixo custo) informa que o cancelamento de 2.100 ligações até ao final de outubro vai afetar 315 mil passageiros, número que "é inferior à estimativa inicial de 390 mil", uma vez que as taxas de ocupação para setembro eram de 90%, mas para outubro se ficavam pelos 70%.

Segundo a mesma nota, até ao final do dia de hoje, a Ryanair espera ter remarcado em voos alternativos da companhia mais de 175 mil passageiros, ou seja, mais de 55% do total de passageiros afetados, e ter processado o reembolso de outros 63 mil (mais de 20% dos clientes afetados).

Neste sentido, a Ryanair adianta que reforçou a equipa de atendimento ao cliente para acelerar os processos de alteração de voo ou de reembolso.

O calendário da companhia prevê ainda o processamento de mais de 300 mil alterações de voo ou devoluções (mais de 95% dos passageiros afetados) até ao final da semana.

Na sexta-feira, a companhia aérea 'low cost' (baixo custo) anunciou o cancelamento de 40 a 50 voos por dia durante seis semanas, até ao final de outubro, num total de cerca de 2 mil voos, com o objetivo de "melhorar a sua pontualidade", que diz ter caído "abaixo de 80%" nas duas primeiras semanas de setembro.

O responsável de marketing da Ryanair, Kenny Jacobs, garantiu que a companhia aérea está "a trabalhar arduamente para solucionar esta falha de planeamento do "roster" [planificação dos horários de pilotos e tripulação].

"Reforçámos a equipa de atendimento ao cliente para acelerar o ritmo da receção e resolução de pedidos de remarcação de voos ou reembolso", disse, realçando que a expectativa é "ter a grande maioria destes pedidos solucionados até ao final desta semana".

Segundo o responsável, a maioria dos pedidos dos passageiros com voos cancelados está a ser solucionada 'online', mas, uma vez que as linhas de atendimento estão extremamente ocupadas, solicita aos clientes afetados "um pouco mais de paciência".

Na segunda-feira, o presidente executivo da Ryanair, Michael O'Leary, assegurou que o cancelamento de voos nas próximas seis semanas não se deve a falta de pilotos, mas a um "erro" na distribuição de férias, tendo assumido "toda a responsabilidade pessoal".

Numa conferência de imprensa realizada em Dublin, sede da companhia aérea, O'Leary pediu desculpas aos milhares de passageiros que serão afetados por esta medida, mas insistiu que apenas serão afetados 2% de todos os voos da companhia, líder na Europa no setor 'low cost'.

Passageiros afetados por atrasos ou cancelamentos de voos este verão podem reclamar 46 milhões
Os mais de 130 mil passageiros afetados entre junho e agosto por atrasos e cancelamentos de voos em Portugal podem reclamar 46 milhões de euros às companhias aéreas, correspondentes a perto de 900 incidências, segundo dados hoje divulgados.

De acordo com a espanhola Gate28, que oferece um serviço de reclamações de compensação por atraso ou cancelamento de voo, as 891 incidências indemnizáveis registadas de 01 de junho a 31 de agosto - mais 5,5% do que no último verão - afetaram 133.650 passageiros (126.600 passageiros em 2016), que diz terem direito a compensações de 46 milhões de euros, acima dos 44 milhões de euros de 2016.

Segundo destaca, o dia 24 de julho foi "o pior dia para voar do verão", com 67 incidências em voos de e para Portugal (7,5% dos atrasos e cancelamentos indemnizáveis de todo o verão) resultantes dos ventos fortes registados no Funchal. Pelo contrário, 15 de junho foi "o melhor dia" para voar, com apenas dois atrasos e cancelamentos.

Os dados da Gate28 apontam que, este verão, a percentagem de voos com direito a compensação foi de 69%, tendo-se registado um total de 633 voos com um atraso de mais de três horas e 650 cancelamentos.

De acordo com a legislação europeia, os voos com menos de 1.500 quilómetros de percurso que sejam cancelados ou acumulem um atraso de mais de três horas podem equivaler a compensações até 250 euros por pessoa. Os voos com um trajeto entre 1.500 e 3.500 quilómetros permitem uma indemnização de até 400 euros, enquanto a indemnização para os voos que superem os 3.500 quilómetros de viagem pode ir até 600 euros.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)