Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
3

Scotland Yard assume culpa

O comissário chefe da Scotland Yard, Ian Blair, apresentou este domingo um pedido público de desculpas pela morte de um cidadão brasileiro em Londres, abatido pela polícia na sexta-feira, por suspeitas de ligações aos atentados ocorridos na capital britânica nas duas últimas semanas, que se revelaram falsas. A polícia britânica assume total responsabilidade pelo erro.
24 de Julho de 2005 às 11:58
"É uma tragédia. A polícia Metropolitana aceita a total responsabilidade pelo sucedido. À família apenas posso expressar o meu profundo pesar", disse Yan Blair em declarações ao canal de televisão Sky News. Apesar do erro, na falsa identificação do suspeito, Ian Blair salientou que os polícias britânicos têm ordens para matar com uma bala na cabeça os presumíveis terroristas suicidas.
A Scotland Yard reconheceu sábado que o homem abatido sexta-feira na estação de metro de Stockwell "não estava ligado aos atentados" falhados da passada quinta-feira na capital britânica.
O brasileiro Jean-Charles de Menezes, de 27 anos, um emigrante legalizado, vivia há três anos na capital britânica, onde era electricista. Foi abatido a tiro na passada sexta-feira pela polícia, que o confundiu com um terrorista suicida na estação de metro de Stockwell, sul de Londres.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)