Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto

Sindicato acusa colégio de Caminha de incumprimento do contrato de associação

Lusa 13 de Setembro de 2016 às 12:19

Um sindicato de trabalhadores não docentes acusou hoje a direção de um colégio de Caminha, que fechou em agosto, de incumprimento do contrato de associação com o Governo que previa um financiamento de 900 mil euros para 11 turmas.

"Estava salvaguardado o financiamento para a funcionamento de 11 turmas. Estamos a falar de cerca de 900 mil euros para 247 alunos. Havia financiamento, havia condições para manter os postos de trabalho, o que não há é vontade política da direção para continuar com o projeto", afirmou a dirigente nacional CESP-Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal, Célia Lopes.

Em causa está o encerramento da Ancorensis - Cooperativa de Ensino, a funcionar em Caminha desde 01 de setembro de 1988. O fecho do colégio e o despedimento coletivo de todos os 67 trabalhadores (40 docentes e 27 trabalhadores não docentes) foram decididos a 29 de agosto, em assembleia-geral, por não ter direito a abrir novas turmas com contrato de associação.

Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)