Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
5

Sporting com prejuízo de 13,349 milhões (ACTUALIZADA)

A Sociedade Anónima Desportiva (SAD) do Sporting anunciou esta terça-feira que registou um prejuízo de 13,349 milhões de euros no exercício 2008/2009, invertendo os lucros de 597 mil euros obtidos no exercício anterior.
15 de Setembro de 2009 às 16:13
Filipe Soares Franco, presidente da SAD do Sporting
Filipe Soares Franco, presidente da SAD do Sporting FOTO: d.r.

O relatório e contas da SAD do Sporting, disponível na página oficial da Comissão do Mercado de Valores Imobiliários (CMVM), revela que os resultados operacionais também se deterioraram, passando de um valor positivo de 2,563  milhões de euros no exercício de 2007/2008 para um resultado negativo de  9,391 milhões de euros no último exercício.  

De acordo com a Sporting SAD, a degradação dos resultados operacionais deve-se ao forte aumento de amortizações e perdas por imparidades  com passes de jogadores, que subiram para 11,55 milhões de euros (mais 63,8  por cento), e com a inexistência de receitas de vendas de jogadores.   

Os proveitos operacionais aumentaram três por cento, para 45,46 milhões de euros, mas os custos operacionais subiram 14,9 por cento, para 44,07 milhões de euros, devido ao acréscimo dos custos com pessoal (de 19,86 milhões para 23,73  milhões de euros), resultante do aumento de prémios relacionado com o bom  desempenho a nível europeu e da inclusão de salários de três jogadores (Izmailov, Grimi e Had), anteriormente emprestados ao clube.

Os resultados antes de impostos foram negativos em 11,823 milhões de euros em 2008/2009, que compara com um resultado de 635 mil euros em 2007/2008 

O aumento dos impostos pagos, de 38 mil euros em 2007/2008 para 1,526 milhões de euros no exercício passado, contribuiu para um prejuízo mais  expressivo em 2008/2009.  

A SAD destaca o facto de ter registado um 'cash-flow' (saldo entre  entradas e saídas de capital) positivo em 4,6 milhões de euros e de ter obtido um EBITDA (resultados antes de impostos, depreciações e amortizações) positivo em 2,7 milhões de euros.

ADMINISTRADORES SEM PRÉMIOS

O clube leonino revela ainda, no mesmo relatório e contas, que não atribuiu prémios aos seus administradores referentes à época passada.

 

'A Comissão de Accionistas eleita no dia 3 de Agosto de 2009 não deliberou até à data sobre a atribuição da componente remuneratória variável pelo que não foi provisionada ou reconhecida nas contas qualquer verba a esse título', lê-se. O único administrador executivo remunerado, Rita Corrêa Figueira, recebeu 165.620 euros.

Ver comentários