Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
5

Suspeitos da 'Operação Chicote' detidos a furtar automóveis (COM VÍDEO)

Dois homens, de 42 e 56 anos, investigados pela PSP no decorrer do inquérito da 'Operação Chicote’ - que em 2009 levou a julgamento em Benavente 21 pessoas acusadas de furto e viciação de viaturas -, foram ontem de madrugada presos em Santo António dos Cavaleiros (Loures). Os suspeitos foram apanhados em flagrante a furtar uma carrinha Audi, e responderam com disparos à intervenção policial.
5 de Julho de 2012 às 12:30
A PSP de Santo António dos Cavaleiros recuperou as viaturas
A PSP de Santo António dos Cavaleiros recuperou as viaturas FOTO: Mariline Alves

O alerta foi dado pelas 04h00. Uma patrulha de três agentes da PSP de Santo António dos Cavaleiros deslocou-se à Praceta José Augusto Gouveia, após denúncia de um morador, e apanhou em flagrante os dois assaltantes.

Um deles estava sentado ao volante de um BMW - furtado em Março, em Lisboa -, enquanto o outro já tinha conseguido retirar o canhão da fechadura de uma carrinha Audi.

Mal se apercebeu da presença policial, o condutor do BMW arrancou a viatura, tentando atropelar os agentes. O suspeito abalroou dois carros estacionados no local, e ainda o carro-patrulha. O automóvel em fuga cessou marcha de imediato, tendo o condutor sido manietado e preso.

O ladrão que tentava furtar o Audi fugiu a pé, vindo a efectuar quatro disparos na direcção dos agentes. O quinto tiro da pistola do suspeito, de calibre .22,  só não foi efectuado porque a arma encravou.

Os elementos da esquadra da PSP de Santo António dos Cavaleiros saíram ilesos, conseguindo também prender o segundo suspeito.

Dentro do BMW a PSP apreendeu mais dois revólveres, de calibres .32 e .38, bem como inúmeras ferramentas, centralinas de automóveis de várias marcas, bem como equipamento electrónico de codificação de chaves de veículos.

 


Após as detenções, a PSP efectuou quatro buscas domiciliárias, apreendendo uma caçadeira, 60 munições, e equipamento electrónico. Segundo afirmou aos jornalistas o comissário Resende da Silva, comandante da Divisão de Loures, a PSP tem razões para acreditar que a dupla de ladrões presos actuava “por encomenda”.

“Recolhemos prova de que os detidos actuavam há algum tempo, e que roubavam em resposta a encomendas de furtos de viaturas de alta cilindrada, e de peças automóveis”, concluiu.

Ver comentários