Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
8

Três dias de luto por assassinato de grávida

Adriana Urquiola, de 28 anos de idade e grávida de cinco meses, foi assassinada a tiro na noite do último domingo.
24 de Março de 2014 às 22:50

O presidente da Câmara Guaicapuro, a 20 quilómetros de Caracas, decretou esta segunda-feira três dias de luto na região pelo assassinato de uma jovem mulher grávida, quando tentava passar por uma barricada colocada por manifestantes numa estrada local.

"Emitimos um decreto no qual temos três dias de luto, em que limitamos todo o tipo de celebrações e atos comemorativos de caráter oficial e privado no nosso município (Los Teques), em solidariedade para com os familiares de Adriana Urquiola", explicou o autarca luso-descendente, Francisco Garcês.

Em conferência de imprensa, Francico Garcês insistiu em fazer um apelo aos políticos opositores e aos cidadãos venezuelanos para um diálogo no âmbito das iniciativas de paz impulsionadas pelo Governo venezuelano. "Nesta câmara municipal a oposição tem presença, que a faça valer. Não vimos nem uma só proposta por parte deles, para debater, para estabelecer discussões de paz. Esta câmara municipal está aberta a toda a população de Guaicaipuro", declarou.

Condenando as ações de vandalismo que causaram a morte da jovem grávida, o luso-descendente revelou que 19 pessoas estão detidas naquele município por pretenderem "exercer a violência como forma de protesto".

Adriana Urquiola, de 28 anos de idade, foi assassinada a tiro na noite do último domingo, quando tentava passar pela localidade de 'Los Nuevos Teques', no Estado venezuelano de Miranda. A vítima estava grávida de cinco meses e trabalhava como intérprete de linguagem gestual no canal privado de televisão Venevisión.

Desde há seis semanas que na Venezuela se registam diariamente protestos em várias regiões do país, contra a insegurança, a escassez de produtos, contra a repressão policial e pela libertação de presos políticos, ações que, sendo inicialmente pacíficas, têm desencadeado situações de violência que já provocaram pelo menos 34 mortos e avultados danos materiais.

Guaicapuro Caracas Venezuela grávida assassinada tiro Francisco Garcês presidente de câmara
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)