Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
5

Trump felicitou Duterte pelo seu "incrível trabalho" para combater as drogas

Campanha contra tráfico do presidente das Filipinas já fez 7 mil mortos.
Lusa 24 de Maio de 2017 às 05:34
Donald Trump
O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte
O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte
Donald Trump, o presidente dos EUA
Donald Trump
O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte
O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte
Donald Trump, o presidente dos EUA
Donald Trump
O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte
O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte
Donald Trump, o presidente dos EUA

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, felicitou em abril o seu homólogo filipino, Rodrigo Duterte, pelo seu "incrível trabalho" na luta contra as drogas, que causou mais de 7 mil mortos desde junho de 2016.

O diário The Washington Post revelou esta quarta-feira o conteúdo de uma conversa telefónica entre Trump e Duterte, que teve lugar a 29 de abril.

Segundo a transcrição da conversa entre os dois líderes, elaborada a 2 de maio, e à qual o diário teve acesso, Trump iniciou a chamada dizendo: "Só queria felicitá-lo porque tomei conhecimento do seu incrível trabalho com o problema das drogas. Muitos países têm esse problema, nós temos esse problema, mas você está a fazer um trabalho genial. Só queria telefonar-lhe para lhe dizer isso".

De seguida, Duterte agradece as palavras de Trump e explica: "as drogas são o flagelo do meu país e tive de fazer algo para preservar a nação filipina".

Na resposta, Trump afirma que entende "completamente" a posição de Duterte, apesar de um dos seus antecessores não "ter entendido isso", em referência às críticas do ex-presidente Barack Obama à "guerra contra as drogas" iniciada nas Filipinas desde a tomada de posse de Duterte, em junho de 2016, e que provocou milhares de mortos nesse país.

Organizações de direitos humanos afirmam que pelo menos 7 mil alegados toxicodependentes e narcotraficantes foram assassinados, com a participação ou anuência das forças de segurança, desde meados do ano passado, quando se começou a aplicar a estratégia da luta contra as drogas lançada por Duterte.

A transcrição da Casa Branca sobre a chamada entre Trump e Duterte não inclui muitos detalhes e limita-se a informar que os dois líderes "falaram sobre o facto de que o Governo filipino estar a levar a cabo um grande combate para livrar o seu país das drogas, um flagelo que afeta muitos países em todo o mundo".

Segundo a Casa Branca, durante a chamada, Trump convidou Duterte a visitar Washington e ambos conversaram sobre a reunião que os líderes dos Estados Unidos e da Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN) vão ter, em novembro, nas Filipinas.

Os Estados Unidos e as Filipinas são aliados históricos, mas as suas relações têm-se degradado desde que Duterte foi eleito novo Presidente em maio de 2016.

O Presidente das Filipinas decidiu romper com os Estados Unidos e procurar novas opções, primeiro na China, de onde anunciou em outubro a "separação" económica dos EUA, e esta semana na Rússia, onde reuniu com Vladimir Putin para assinar um acordo de cooperação militar.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)