Homepage Radar Partilhar
icon_hand2

Todos os anos morrem mulheres às mãos dos maridos, namorados ou ex-companheiros, vítimas de violência doméstica. Mas morrem também às mãos dos filhos e de outros familiares. E os homens também não escapam a estas estatísticas negras. Neste Radar, damos a conhecer os números e histórias trágicas, mas também os testemunhos de quem sobreviveu.

Vítimas

2020

12

2019

37

Radiografia dos crimes

Mostrar Filtros

Número de vítimas

49/49

Notícias e casos

Histórias de quem sobreviveu à violência doméstica

Histórias de quem sobreviveu à violência doméstica
“Senti a morte na pele”
Dois meses após o casamento, Carla Angelina, de 45 anos, foi agredida pelo marido, que lhe partiu duas costelas. Foram três anos de terror que culminaram com uma agressão violenta dentro da farmácia que ambos geriam. Foi salva por uma funcionária, que agarrou o patrão pelo pescoço enquanto Carla se refugiava na casa de banho.
Histórias de quem sobreviveu à violência doméstica
“Como homem tive vergonha de ter sido agredido”
A vida de Pedro, de 41 anos, transformou-se num inferno quando descobriu que a mulher com quem vivia há dez anos tinha um amante. Quis pôr um ponto final na relação e recusou-se a sair de casa, decisão que a companheira não aceitou. A mulher agrediu-o várias vezes. Fez queixa na polícia e sentiu que o caso foi desvalorizado por ser homem.
Histórias de quem sobreviveu à violência doméstica
“Achei que aquele seria o homem da minha vida”
Madalena Silva sofreu às mãos do marido durante 12 anos. Os primeiros sinais de agressividade surgiram antes do matrimónio. O dia do casamento marcou uma viragem trágica na relação. Fugiu de casa com o filho três vezes, mas regressou. Fez queixas na polícia, retirou-as e até que conseguiu que o marido fosse apanhado em flagrante.
Histórias de quem sobreviveu à violência doméstica
“Não imaginei levar de alguém com quem vivia há15 anos”
‘Maria’ é ‘filha’ da violência doméstica e jurou que nunca passaria pelo mesmo. Mas acabou na mesma situação. Primeiro, foram anos de violência psicológica, depois as agressões. Na tentativa de escapar à violência e salvaguardar o filho, a professora universitária foi vítima de chantagem sexual. Só se conseguiu libertar da relação quando o marido a ameaçou publicamente.
Histórias de quem sobreviveu à violência doméstica
“A lei não nos protege”
‘Ana’ saiu do Brasil à procura de uma vida melhor e acabou ‘prisioneira’ de uma relação abusiva durante 14 anos. O marido humilhava-a, agredia-a e nunca permitiu que tratasse dos papéis para se legalizar. As palavras do filho deram-lhe coragem para procurar ajuda e abrigo numa casa de acolhimento de emergência.
Histórias de quem sobreviveu à violência doméstica
"O companheiro da minha mãe abusou de mim e ela não fez nada", Marlene sofreu violência doméstica desde criança
Marlene Rocha conta a história de vida no 'Manhã CM'.
Histórias de quem sobreviveu à violência doméstica
"Ele queria pôr-me na rua e bater-me", conta vítima de violência doméstica
Ana Santos, vítima de violência psicológica, foi ameaçada ficar sem a filha.
Ver outros casos
Conhece algum caso de violência doméstica? denuncie aqui
Coordenação Alfredo Leite
Dados Iuri Martins
Pesquisa e Textos Catarina Cruz e Iuri Martins
Edição de vídeo Catarina Cruz
Webdesign Edgar Lorga e João Silva
Produção Multimédia Sandro Martins
Conceção David Vinagre e Gonçalo Sebastião
(A imagem do header é meramente ilustrativa)