Barra Cofina

Correio da Manhã

Coronavírus

Inglaterra foi o país com maior excesso de mortalidade na Europa

Reino Unido registou até quarta-feira 45.961 mortes durante a pandemia da Covid-19.
Lusa 30 de Julho de 2020 às 12:34
Coronavírus Reino Unido
Coronavírus Reino Unido FOTO: Reuters
Inglaterra foi o país com maior excesso de mortalidade na Europa durante a pandemia da covid-19, muito acima de Portugal, e embora Espanha tenha registado um pico mais elevado, segundo uma análise publicada esta quinta/feira pelo instituto de estatísticas britânico. 

Segundo o estudo instituto de estatísticas britânico (ONS), que abrangeu o período entre 28 de dezembro de 2019 e 12 de junho de 2020 e analisou dados de 29 países, incluindo Portugal, Inglaterra atingiu um excesso de mortalidade de 107,6% em meados de abril, enquanto que em Espanha chegou aos 138,5% no final de março. 

Em Portugal, o excesso de mortalidade mais elevado aconteceu no início de abril, quando subiu até 17,8%. 

A análise, feita a partir de dados reunidos pelo instituto de estatísticas da UE Eurostat, concluiu que a pandemia covid-19 causou um aumento extraordinário das taxas de mortalidade no primeiro semestre de 2020 na Europa Ocidental. 

"O pico mais alto de excesso de mortalidade a nível nacional foi na Espanha, tendo algumas áreas no norte da Itália e no centro da Espanha atingido níveis de excesso de mortalidade 847,7% acima da média", disse o analista Edward Morgan.

O estudo conclui que o Reino Unido não registou um pico tão elevado nem tão localizado como na maioria do resto dos países europeus, tendo o excesso de mortalidade sido geograficamente espalhado de forma relativamente uniforme nas quatro nações britânicas: Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte.

Porém, a descida mais lenta da curva no Reino Unido significa que, até o final de maio, a Inglaterra registou o maior excesso geral de mortalidade relativa comparando com os outros países europeus.

De acordo com estatísticas oficiais, o excesso de mortalidade, que inclui todas as mortes resultantes indiretamente da pandemia e compara o valor com a média dos últimos cinco anos, ultrapassou os 64 mil óbitos durante o período da pandemia covid-19. 

Este é considerado o melhor indicador do impacto do vírus, pois fornece uma visão ao longo de períodos históricos e inclui a mortalidade por todas as causas, incluindo aquelas que possam ser uma  consequência da crise, como a falta de assistência médica.

Oficialmente, o Reino Unido registou até quarta-feira 45.961 mortes durante a pandemia covid-19 em 301,455 casos de contágio confirmados. 

Portugal contabiliza pelo menos 1.725 mortos associados à covid-19 em 50.613 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 666 mil mortos e infetou mais de 17 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

 

Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
Inglaterra Europa Ocidental Reino Unido Portugal Espanha China questões sociais saúde demografia doenças
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)