Barra Cofina

Correio da Manhã

Coronavírus

Internista do Hospital de São João no Porto considera que confinamento e recolher obrigatório são inúteis e prejudiciais

António Ferreira afirma que não é negacionista da pandemia e que defende o distanciamento social e o uso de máscara.
Lusa 18 de Novembro de 2020 às 13:37
Hospital de São João, no Porto
Hospital de São João, no Porto FOTO: Peter Spark
O internista António Ferreira, do Hospital de São João, considerou hoje que as medidas de combate à covid-19 que levam à paragem da atividade social e económica, como o confinamento, o recolher obrigatório, "são inúteis e prejudiciais".

Na sua intervenção na conferência "71 minutos pela Saúde", organizada pela Convenção Nacional da Saúde, António Ferreira começou por afirmar que não é negacionista.

"Sei que a pandemia de covid-19 é um problema muito grave de saúde pública e também social. Defendo convictamente as medidas de prevenção não farmacológica, consubstanciada no distanciamento social, na higiene das mãos e no uso de máscara e não subscrevo as posições de alguns países e de alguns investigadores e epidemiologistas que defendem que se deixa o vírus circular para criar imunidade de grupo", afirmou o especialista.

Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
Hospital de São João António Ferreira saúde serviços médicos (geral)
Ver comentários