Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
2

José Mário Branco revela temas inéditos

Álbum inclui canções nunca antes editadas em digital.
Ana Maria Ribeiro 11 de Maio de 2018 às 09:39
José Mário Branco
José Mário Branco FOTO: Mariline Alves
Aos 75 anos, José Mário Branco já não grava nada em nome próprio desde 2004, quando lançou o álbum ‘Resistir é Vencer’, mas no mês que vem vai surpreender os seus fãs com um disco duplo, cheio de inéditos e raridades. Trata-se de ‘Inéditos 1967-1999’, recolha de canções gravadas entre 1967 e 1999 e nunca antes editadas em digital. Entre elas, os temas ‘Fim de Festa’ (lançado num EP de marchas da Comuna–Coopearte) ou ‘Quantos é que nós’ (gravado para um disco de homenagem a Otelo Saraiva de Carvalho).

"A escolha que foi feita é muito variada, são coisas muito diversas", diz José Mário Branco. "Acho que o resultado final é prova de uma certa polivalência da minha parte, mas houve critérios, apesar de tudo, porque era muito material e teve de se fazer uma seleção", acrescenta, ele que diz não ter planos para gravar. Prefere ir trabalhando para os outros...

PORMENORES
São 50 anos de carreira
Este duplo álbum faz parte de um plano editorial da Warner Music para celebrar os 50 anos de carreira de José Mário Branco e sucede à reedição, em dezembro, de sete álbuns de originais e um ao vivo, de um período que vai entre 1971 e 2004.

Nas lojas a 1 de junho
‘Inéditos 1967-1999’ chega ao mercado a 1 de junho e está organizado de forma cronológica. Abre com o primeiro EP, ‘Seis cantigas de amigo’, de 1967, ao qual se acrescentou agora o tema ‘Quantas sabedes amar, amigo (ou Mar de Vigo)’, nunca antes editado.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)