Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
5

A doninha em família

É ‘prò menino e prà menina, prò avô e prò bebé’ poderia muito ser um bom slogan para descrever os actuais Da Weasel.
20 de Fevereiro de 2005 às 00:00
Sexta-feira, num Coliseu de Lisboa a rebentar pelas costuras, a surpresa maior acabou por ser a ampliada família da ‘Doninha’. “Já não sabemos se são os pais que trazem os filhos ou o contrário”, confessou um ‘suspeito’ Virgul, já que também as famílias dos músicos lá estavam, bem junto às grades. “Obrigado por nos terem aturado estes anos todos e nos terem deixado ser músicos”, acabariam até por dirigir aos seus.
Num concerto de consagração (“finalmente Coliseu”, lançou Pacman assim que pisou o palco), os Da Weasel fizeram a festa e passaram em revista dez anos de carreira, num concerto que contou com uma produção especial (num ecrã gigante ao fundo do palco passavam imagens) e uma série de convidados.
A abertura fez-se com ‘GTA’, após o qual ‘Selectah’ deu o mote para uma curiosa recriação de ‘Could You Be Loved’, de Bob Marley. Esta não foi, contudo, a única referência exterior ao universo da banda, que mais adiante viria ainda a ‘usar’ Usher e ‘Seven Nation Army’, dos White Stripes.
Entre os muitos ‘clássicos’ para os fãs de tempos mais recuados, os Da Weasel serviram ‘Outro Nível’, ‘Essência’ (dedicado “ao pessoal da Margem Sul”), ‘Todagente’, ‘Carrosel’ e, já em encore, temas míticos como ‘Duía’, ‘O Remorso’, ‘Tás na Boa’ e ‘God Bless Johnny’.
Numa noite tão especial, era natural que os Da Weasel quisessem estar rodeados de amigos. Por isso convidaram Sam, que deu uma mãozinha em ‘Pedaço de Arte’, ‘O Verbo’ e ‘Agora e Para Sempre (A Paixão)’. João Gomes, nos teclados e o ex-Ornatos Violeta Manel Cruz, que subiu ao palco para cantar o novo ‘Casa’, foram as restantes testemunhas do momento de glória.
Longe de viverem apenas dos êxitos do passado, os Da Weasel tiveram em ‘Força’ (dedicado aos “cotas que têm a pachorra de levar os putos aos concertos”) e ‘Re-Tratamento’, os pontos mais altos de uma noite memorável.
ANO 'DE PLATINA’
O concerto na capital foi como que o coroar do ano da ‘doninha’. Nos últimos meses, os Da Weasel conquistaram o prémio MTV para melhor banda portuguesa, puseram meio mundo a cantarolar “Olá Nina...” e estão à beira de obter a dupla platina para o respectivo álbum, ’Re-Definições’, que leva já 66 mil unidades vendidas. O DVD, por seu lado, já é platina, também.
Ao fim de dez anos de carreira, a banda de Almada pode assim olhar para trás e orgulhar-se do caminho percorrido, saiu do ‘gheto’, driblou os puristas do hip-hop e, por último, passou uma rasteira ao triste ‘fado’ da música portuguesa ao chegar até aqui com um balanço muito positivo na equação vitalidade/longevidade.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)