Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
8

À ESPERA DE INQUILINO

Uma das obras da Porto 2001 que mais polémica provocou é a do Edifício Transparente, situado entre o topo sul do Parque da Cidade e o mar. Projecto de vocação lúdico-cultural, o edifício da autoria do catalão Sollá Morales, é uma estrutura com o interior por acabar: só depois de escolhidos, por concurso, quer o inquilino quer os equipamentos a instalar, é que o arquitecto concluirá, então, o arranjo interior.
18 de Maio de 2003 às 00:02
O Edifício Transparente já apelidado de elefante transparente
O Edifício Transparente já apelidado de elefante transparente FOTO: Direitos Reservados
A demora na sua utilização e vacuidade do seu interior têm feito com que a obra seja alvo da crítica dos portuenses, que também o designam por "elefante transparente" da Porto 2001.
A negociação final pode agora decorrer com a empresa Hottrade Lda., mas o júri ainda terá a palavra final sobre a proposta negociada.
LEGADO DIFÍCIL
Esta empresa foi indicada pelo júri, reunido na sexta-feira, ao Conselho de Administração da Casa da Música-Porto 2001, como sendo a que preenche os requisitos do processo relativo à exploração e concessão do Edifício Transparente, no âmbito do concurso lançado ao qual responderam cinco entidades. No final, no entanto, a Hottrade ficou sozinha.
O conselho de administração da Porto 2001 tem, assim, luz verde para proceder "de imediato à negociação final, em íntima colaboração com as entidades representadas no júri". Um júri composto por nove membros em representação dos ministérios da Cultura e do Ordenamento do Território e Ambiente, dois vereadores pela Câmara Municipal do Porto, o representante da administração dos Portos do Douro e Leixões o arquitecto Sollá Morales e dois administradores da Casa da Música-Porto 2001.
Entre os critérios de apreciação estão o respeito pela qualidade arquitectónica, a promoção da animação daquela zona da cidade e o respeito pela ligação entre o parque e a frente marítima.
Um primeiro concurso para a sua utilização não teve propostas. Depois deste concurso, que só teve uma empresa na final, e se a negociação entre Hottrade e a Administração Casa da Música-Porto 2001 chegar a bom termo, acaba também o "pesadelo transparente" de um legado que tem sido difícil de gerir.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)