Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
1

A estatística de Pitt para vencer

Jogo é jogo, mas a matemática pode dar uma ajudinha a avaliar quais as melhores probabilidades para vencer. Com base nesta premissa, Billy Beane mudou a forma de se olhar para o baseball, jogo que move milhões – e multidões – nos Estados Unidos. E deu a Brad Pitt um papel que o pode levar ao Óscar de Melhor Actor.
11 de Janeiro de 2012 às 01:00
Brad Pitt lidera uma equipa de baseball e vai jogar com a Estatística a seu favor
Brad Pitt lidera uma equipa de baseball e vai jogar com a Estatística a seu favor FOTO: direitos reservados

‘Moneyball – Jogada de Risco’, novo filme de Bennett Miller, amanhã em estreia nacional, trata disso mesmo. De como Beane, em 2002, quase levou a Oakland Athletics à vitória da Liga, mesmo com uma equipa de baixíssimo orçamento, sem as grandes estrelas que só os grande rivais podiam pagar.

Com base na história verídica – relatada no bestseller homónimo de Michael Lewis – Pitt construiu, assim, um protagonista vencedor. Tal como a figura (real) que o inspirou, conquistou mais de duas dezenas de vitórias consecutivas na Liga, feito há muito inatingível, sobretudo para uma equipa sem ‘trunfos’.

Com recurso à análise de probabilidades estatísticas (e sem dinheiro), Beane, director-geral da Oaklands Athetlics, montou uma equipa vencedora e virou o jogo... de como jogar baseball. ‘Moneyball – Jogada de Risco’ é um filme com alma e Brad Pitt é, em muito, responsável por isso. A sua interpretação, aliás, tem-lhe valido rasgados elogios da crítica que o ‘atira’ como potencial candidato ao Óscar.

Para já, o filme está nomeado para quatro Globos de Ouro (a cerimónia dos prémios é já no domingo) e dois deles podem ir parar às mãos de Pitt, quer na qualidade de produtor (se vencer o Globo de Melhor Filme) ou de (Melhor) actor.

BRAD PITT CINEMA FILME 'MONEYBALL' JOGO
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)