Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura

‘A Favorita’ arrasa nos prémios do cinema europeu

Antonio Banderas e Olivia Colman foram considerados os melhores atores do ano.
Ana Maria Ribeiro 9 de Dezembro de 2019 às 01:30
Olivia Colman levou para casa a estatueta de melhor atriz de 2019
Juliette Binoche foi distinguida pelo seu trabalho no cinema mundial
Antonio Banderas foi considerado o melhor ator europeu do ano, graças ao filme ‘Dor e Glória’
Werner Herzog levou para casa o prémio de carreira
Olivia Colman levou para casa a estatueta de melhor atriz de 2019
Juliette Binoche foi distinguida pelo seu trabalho no cinema mundial
Antonio Banderas foi considerado o melhor ator europeu do ano, graças ao filme ‘Dor e Glória’
Werner Herzog levou para casa o prémio de carreira
Olivia Colman levou para casa a estatueta de melhor atriz de 2019
Juliette Binoche foi distinguida pelo seu trabalho no cinema mundial
Antonio Banderas foi considerado o melhor ator europeu do ano, graças ao filme ‘Dor e Glória’
Werner Herzog levou para casa o prémio de carreira
O filme ‘A Favorita’ foi o grande vencedor do Prémios do Cinema Europeu, distribuídos no sábado em Berlim, na Alemanha. A obra do grego Yorgos Lanthimos arrecadou quatro estatuetas: melhor filme; melhor comédia; melhor realizador e melhor atriz (direitinho para Olivia Colman, que já tinha recebido um Óscar pelo mesmo papel).

Numa cerimónia que distinguiu os veteranos Juliette Binoche e Werner Herzog - ela por um percurso de sucesso no cinema mundial, ele com o Prémio de Carreira- o espanhol Antonio Banderas foi considerado o melhor ator do ano pela sua interpretação no filme ‘Dor e Glória’, de Pedro Almodóvar. Banderas não pôde ir à festa, mas falou à audiência através de um vídeo emocionado.

Quanto a Binoche, dedicou o prémio a toda a equipa que trabalha com ela, incluindo as amas que cuidam dos seus filhos enquanto está a trabalhar. "É justo receberem-se prémios quando o mundo parece estar em descalabro?", perguntou. "Temos de ser mais verdadeiros, melhores pessoas. Temos de abrir o coração", disse.

A deceção da noite foi o filme de Roman Polanski, ‘J’Accuse’, que não foi contemplado com prémio algum, por causa da polémica que ainda envolve o realizador, acusado de violação de uma menor em 1977.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)