Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
8

A nova Maria de Rui Veloso

No ano em que celebra 25 anos de carreira, Rui Veloso tem um novo ‘amor’. Trata-se de uma editora, a Maria Records, onde, pela primeira vez, troca a música pelo papel de ‘patrão’.
8 de Julho de 2005 às 00:00
Rui Veloso no Teatro da Luz durante a apresentação da editora Maria Records
Rui Veloso no Teatro da Luz durante a apresentação da editora Maria Records FOTO: Enric Vives-Rubio
O projecto, um “sonho antigo” que se tornou realidade com a cumplicidade de três amigos (Manuel Moura Santos, João Trigo da Roza e Diogo Vaz Guedes) tem como prioridade a aposta na música portuguesa e conta já com dois artistas: os Azeitonas e Jorge Vadio.
“São projectos que me vieram parar às mãos e nos quais, através da minha experiência, reconheci logo talento e originalidade. Acredito que eles possam fazer algo pela música portuguesa”, disse Rui Veloso ao CM, na festa de lançamento da editora, realizada quarta-feira no Teatro da Luz, em Lisboa.
Rui Veloso espera vir a recrutar mais algumas bandas muito em breve e, lá para meados de 2006, espera ter “um catálogo maior”.
Apesar da crise que o sector discográfico atravessa, Rui Veloso mostra-se optimista quanto ao futuro da sua ‘Maria’.
“Já em 1980, quando comecei a tocar, dizia-se que as coisas estavam mal. Mas a verdade é que houve espaço para mim e para outros que entretanto apareceram”, disse.
O primeiro a pisar o palco do Teatro da Luz foi Jorge Vadio, cantor de Mafra com uma vertente folk saloia cujo objectivo é “levar a música ao povo”, disse ao CM.
Os Azeitonas, por seu lado, designam-se a primeira ‘boys band’ de garagem portuguesa e apostam na vertente cómico-romântica das suas actuações. Os discos de ambos chegam ao mercado dia 18.
Ver comentários