Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
3

A rainha da noite

Depois de ganhar (quase) tudo o que havia para ganhar, entre prémios das mais variadas associações de críticos de cinema, a Taça Volpi do Festival de Veneza e, agora, dois Globos de Melhor Actriz, em cinema e televisão, Helen Mirren tem apenas pela frente mais duas grandes batalhas – os Óscares e os equivalente britânicos, Bafta. Que parecem ganhas à partida.
17 de Janeiro de 2007 às 00:00
A foto de família: no final da noite no Hotel Beverly Hilton, em Los Angeles, o elenco de ‘Anatomia de Grey’ festeja o Globo
A foto de família: no final da noite no Hotel Beverly Hilton, em Los Angeles, o elenco de ‘Anatomia de Grey’ festeja o Globo FOTO: Epa
Os Bafta apenas são entregues a 11 de Fevereiro mas seria de estranhar que, em Inglaterra, não se rendessem ao talento da actriz... britânica. Já os nomeados à cobiçada estatueta dourada, só serão conhecidos no dia 23, mas já ninguém duvida de que Mirren é a vencedora antecipada. Afinal, os prémios da Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood, entregues anteontem à noite em Los Angeles, são a natural antecâmara da grande noite de gala da Sétima Arte...
Já desde a apresentação de ‘A Rainha’ em Veneza, quando a actuação de Helen Mirren foi ovacionada de pé, durante cinco minutos, que se adivinhava o rol de prémios que aí viria. Com a chuva de galardões conquistados também por ‘Elizabeth I’, a mini-série que lhe valeu mais um Globo de Ouro e, antes, um Emmy (só para falar dos mais relevantes), Mirren bem pode sentir-se como uma rainha da arte de fingir.
“Em 1952, uma jovem mulher de 25 anos chamada Elizabeth Windsor iniciou o papel de uma vida. Esta recompensa é para ela”, enalteceu a actriz, de 61 anos, patriótica, quando subiu ao palco do Hotel Bervely Hilton. Stephen Frears, realizador de ‘A Rainha’, e Peter Morgan, argumentista (também premiado com um Globo) foram os ‘alvos’ seguintes do discurso de cumprimentos da actriz.
Mirren foi a rainha da noite mas o filme do mexicano Alejandro González Iñárritu levou para casa o troféu mais desejado – o Globo de Filme Dramático, reforçando o favoritismo na corrida aos Óscares, apesar de este ter sido o único prémio conseguido entre as sete nomeações de ‘Babel’. “A película foi filmada em três continentes e cinco línguas. O poder do cinema é universal”, disse o cineasta ao receber o Globo das mãos do governador da Califórnia, o ex-actor Arnold Schwarzenegger.
‘The Departed – Entre Inimigos’, outro dos grandes favoritos da noite – e previsível rival de ‘Babel’ nos Óscares –, valeu a Martin Scorcese o prémio de Realização, troféu com o qual pousou com o colega e amigo Steven Spielberg, produtor do Melhor Filme em Língua Estrangeira, ‘Cartas de Iwo Jima’, de Clint Eastwood.
Ainda na área da representação, a veterana Meryl Streep recebeu o esperado prémio de Melhor Actriz de Comédia pela magnífica interpretação em ‘O Diabo Veste Prada’ e, com um novo visual – sem bigode –, Sacha Baron Cohen, o polémico ‘Borat’, agarrou o prémio correspondente na categoria masculina.
Grande vencedor foi ainda Forest Whitaker, Melhor Actor Dramático, por ‘O Último Rei da Escócia’, contrariando o favoritismo de Leonardo Di Caprio, duplamente nomeado por ‘The Departed – Entre Inimigos’ e ‘Diamante de Sangue’.
O musical ‘Dreamgirls’ (estreia em Portugal a 1 de Março) marcou também a diferença pelos três Globos conquistados – Filme Musical, Actriz e Actor Secundários (Jennifer Hudson e Eddie Murphy, respectivamente) – numa noite em que apenas Warren Beatty sabia de antemão que iria ser contemplado com um troféu, o prémio de carreira Cecil B. De Mille.
MÉDICOS SEM FRONTEIRAS NA TV
Com um corte incisivo de bisturi, ‘Anatomia de Grey’ bateu as favoritas ‘24 Horas’ e ‘Perdidos’, arrebatando o Globo para a Série Dramática, o galardão mais cobiçado na área de televisão. Distinguindo-se entre as demais, a produção da ABC (em exibição na RTP 1) confirma assim a crescente adesão dos espectadores pela ‘medicina televisiva’. Prova disso foi o Globo atribuído a Hugh Laurie (foto) pela controversa personagem em ‘Dr. House’ (TVI), mais uma série centrada na rotina de um agitado hospital. Num outro contexto, ‘Elizabeth I’, minissérie sobre Isabel I de Inglaterra, protagonizada por Helen Mirren, brilhou triplamente. Na TV, como no cinema, a Associação da Imprensa Estrangeira de Hollywood rendeu-se ao talento da actriz britânica e premiou ainda Jeremy Irons (Actor Secundário) naquela que foi considerada a melhor minissérie do ano. Na categoria de Comédia e/ou Musical, ‘Uggly Betty’ (inédita entre nós) levou a melhor, deixando de fora a grande vencedora de 2006: ‘Donas de Casa Desesperadas’. A protagonista, America Ferrera, arrebatou também o Globo de Actriz de Comédia e, no género masculino, foi entregue a Alec Baldwin pelo desempenho em ‘30 Rock’, por estrear em Portugal. Kyra Sedgwick (‘The Closer’) bateu concorrentes de peso como Patricia Arquette (‘Médium’) e Edie Falco (‘Os Sopranos’) para se sagrar melhor Actriz Dramática.
MISS NICHOLSON DE OURO AOS 16
Todos os anos, a gala dos Globos de Ouro apresenta uma nova Miss – filha de uma celebridade da Sétima Arte – e, na 64.ª edição, a escolha recaiu sobre Lorraine Nicholson, filha do veterano Jack Nicholson. Com o humor de sempre e visivelmente orgulhoso, Jack desfilou com a filha de 16 anos na passadeira vermelha que tão bem conhece. Afinal, na longa carreira são já seis os Globos arrecadados – e um prémio de carreira (Cecil B. DeMille) – e muitas mais nomeações, a penúltima das quais pela comédia romântica ‘Alguém Tem Que Ceder’, que também contou com uma breve participação de Lorraine. Este ano, o galardão de Melhor Actor (por ‘The Departed: Entre Inimigos’) escapou-lhe para Forest Whitaker mas Nicholson foi brindado com o prémio da filha que já mostrou o seu jovem talento em comédias como ‘Click’ e ‘O Diário da Princesa: Noivado Real’. Laura Dern (filha Diane Ladd e Bruce Dern), Joely Fisher (filha de Connie Stevens e Eddie Fisher), Melanie Griffith (filha de Tippi Hedren) e Dakota Johnson (filha de Melanie Griffith e Don Johnson) foram algumas das Misses anteriores.
PALMARÉS
CINEMA
- Realizador: Martin Scorsese (‘The Departed: Entre Inimigos’)
- Filme (drama): ‘Babel’, de Alejandro Gonzalez Iñarritú
- Actriz dramática: Helen Mirren (‘A Rainha’)
- Actor dramático: Forest Whitaker (‘O Último Rei da Escócia’)
- Filme musical e/ou comédia: ‘Dreamgirls’
- Actriz em musical e/ou comédia: Meryl Streep (‘O Diabo Veste Prada’)
- Actor em musical e/ou comédia: Sacha Baron Cohen (‘Borat’)
- Actriz secundária: Jennifer Hudson (‘Dreamgirls’).
- Actor secundário: Eddie Murphy (‘Dreamgirls’)
- Argumento: Peter Morgan (‘A Rainha’)
- Filme em língua estrangeira: ‘Cartas de Iwo Jima’, de Clint Eastwood
- Filme de animação: ‘Carros’
- Banda sonora original: Alexandre Desplat (‘O Véu Pintado’)
- Canção original: ‘The Song of the Heart’ (‘Happy Feet’), Prince
- Prémio carreira Cecil B. DeMille: Warren Beatty
TELEVISÃO
- Série dramática: ‘Anatomia de Grey’
- Actriz dramática: Kyra Sedgwick (‘The Closer’)
- Actor dramático: Hugh Laurie (‘Dr. House’)
- Série musical e/ou comédia: ‘Ugly Betty’
- Actriz em musical e/ou comédia: America Ferrera (‘Ugly Betty’)
- Actor em musical e/ou comédia: Alec Baldwin (‘30 Rock’)
- Minissérie ou telefilme: ‘Elizabeth I’
- Actriz em minissérie ou telefilme: Helen Mirren (‘Elizabeth I’)
- Actor em minissérie ou telefilme: Bill Nighy (‘Gideon’s Daughter’)
- Actriz secundária em série, minissérie ou telefilme: Emily Blunt (‘Gideon’s Daughter’)
- Actor secundário em série, minissérie ou telefilme: Jeremy Irons (‘Elizabeth I’)
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)