Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
1

A SIC, a festa dos toiros e a importância da TV

A tauromaquia precisa de um abanão, que corrija defeitos antigos e que a modernidade impõe alterar.
10 de Setembro de 2008 às 00:30

É de particular importância a anunciada adesão da SIC à festa de toiros, dada a reconhecida importância que as televisões têm como possíveis divulgadoras, salvaguardadoras e estimuladoras das realidades culturais e tradicionais de um país, isto é, do seu povo.

A RTP foi pioneira em Portugal, até porque foi a primeira a emitir. Após muitos anos de relacionamento com a tauromaquia, nomeadamente através da sua Casa do Pessoal e de critérios directivos que muitas transmissões directas proporcionaram e também programas semanais, começou a TVI a aderir à festa de toiros de uma forma convincente.

Agora, a SIC anuncia uma transmissão directa, coisa que já acontecera há vários anos em Santarém, sem sequência e de forma pouco conseguida na época. Desta feita, em Lisboa, tudo deverá ser diferente e o grande espectáculo de amanhã, atraindo público à Praça do Campo Pequeno e aos televisores em Portugal – e não só –, deverá assinalar o definitivo entendimento da SIC perante a realidade tauromáquica nacional, bem ao jeito do dinamismo e eficácia a que a referida estação emissora habituou o público telespectador.

A cultura portuguesa, na sua vertente tauromáquica, agradece. Esta transmissão poderá fazer prever voos mais altos e continuados na programação da SIC, relativamente a abordagens inéditas à festa de toiros em Portugal e no Mundo.

A tauromaquia em Portugal precisa de um abanão em vários aspectos da mesma, por forma a que se corrijam, de uma vez por todas, defeitos antigos e que a modernidade impõe rectificar. Bem-vinda, pois, a SIC à festa de toiros.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)