Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
3

ACABA HOJE 49º FESTIVAL DE MÉRIDA

Termina hoje, na cidade espanhola de Mérida, mais uma edição do Festival de Teatro Clássico daquela cidade, que fecha as portas com a apresentação de uma das mais interessantes peças de Sófocles.
23 de Agosto de 2003 às 00:00
Trata-se de “Antígona”, que conta a história de uma jovem corajosa, capaz de enfrentar o Poder para lutar por uma causa que considera justa.
Insurgindo-se contra a lei estabelecida pelo Estado, Antígona levará a sua avante, mas terá de pagar o preço: será condenada à morte e acabará por se suicidar.
Juntamente com “Édipo”, “Antígona” é uma das obras mais interessantes que a Antiguidade Clássica nos deixou, e o público de Mérida poderá ver o espectáculo – uma adaptação moderna do clássico de Sófocles - esta noite, no Teatro Romano, a partir das 23h00.
A representação assinala o fim da 49.ª edição deste festival, cuja organização se orgulha este ano de não ter sentido “os efeitos da crise mundial”.
Embora ainda sem números concretos, fonte da organização assegurou ao Correio da Manhã que a afluência de público foi “muito boa, correspondendo totalmente às expectativas”.
Segundo a mesma fonte, isto deve-se sobretudo ao repertório escolhido para exibição durante o festival: todo ele popular.
“Talvez se tivessemos optado por um repertório mais difícil, ou por espectáculos de cariz mais experimental, as coisas tivessem funcionado pior. Assim, o público aderiu muito bem a espectáculos que lhes falavam dos grandes temas de sempre, de forma perfeitamente acessível.”
Recorde-se que a edição deste ano, que se iniciou com a representação da peça “A Paz”, teve como ponto alto um concerto sinfónico contra a barbárie e a favor da paz mundial.
Ver comentários