Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
3

Acusador de Jackson explica contradição

Gavin Arvizo, o jovem de 15 anos que acusa Michael Jackson de abuso sexual, explicou em tribunal por que é que no dia anterior tinha admitido ter dito a um professor que o cantor não o tinha molestado. "Não queria que ninguém suspeitasse do que tinha realmente acontecido", disse a alegada vítima.
16 de Março de 2005 às 08:27
Na segunda-feira, o jovem admitiu em tribunal ter dito a um professor que, afinal, Michael Jackson não o tinha molestado sexualmente há dois anos, na propriedade do cantor Neverland, conforme está escrito no processo de acusação. Os 10 crimes de abuso sexual terão sido cometidos por Michael Jackson sobre Gavin Arvizo há dois anos.
Ontem, a vítima foi confrontada pelos advogados da acusação, em tribunal, para que se explicasse sobre a revelação contraditória feita na véspera. Gavin explicou que disse o que disse ao seu professor para diminuir o impacte negativo que este caso está a ter na sua vida escolar.
Os advogados de acusação reforçaram a tese de 'camuflagem' - se assim se pode dizer - por parte da alegada vítima, apresentando também em tribunal o testemunho de alguns peritos, segundo os quais os menores vítimas de abuso sexual costumam mentir para esconder a vergonha.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)