Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura

Amélia Muge entre a festa e a emoção

Das 202 canções que compôs, Amélia Muge escolheu 17 para um concerto, domingo no CCB, em Lisboa. A maioria dos temas seleccionados foi estreada por cantores como Camané, Mísia, Mafalda Arnauth e Ana Moura, fadista que marcou presença no CCB, tal como os Gaiteiros de Lisboa, como convidados especiais.

9 de Dezembro de 2008 às 00:30
A cantora Amélia Muge
A cantora Amélia Muge FOTO: Sérgio Lemos

Com um sabor umas vezes telúrico e outras festivo, a cantautora, sempre empenhada em fazer a música que gosta acompanhada de bons músicos, além de letras da sua autoria também cantou três dos seus poetas preferidos: Gravato Dias, Rosalía de Castro e Fernando Pessoa. Trata-se de uma resistente na forma de se apresentar e compor, com um acervo musical muito personalizado e que não faz concessões.

Em contraste com a doçura de Ana Moura, no popular ‘Fado da Procura’, os Gaiteiros de Lisboa, de seguida, trouxeram ao CCB um som musculado protagonizado por vozes graves e instrumentos pouco usuais.

Como extras, e em jeito de despedida, Amélia Muge cantou um eufórico ‘Taco e Taco’, com um acompanhamento musical mínimo, e ‘O Nevoeiro’, sobre um poema de Pessoa.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)