Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
5

Amy Winehouse: Álcool sim, drogas não!

Um mês depois da morte de Amy Winehouse, ocorrida a 23 de Julho, o porta-voz da família da cantora, Chris Goodman, diz que os testes de toxicologia já realizados ao cadáver revelam que não há vestígios de drogas ilegais no corpo da artista, embora ela tenha ingerido álcool pouco antes de morrer. O inquérito que esclarecerá tudo e determinará as causas da morte arranca em Outubro.
23 de Agosto de 2011 às 16:56
Segundo o pai de Amy Winehouse, a cantora estava livre das drogas há três anos, mas nunca se tinha libertado do vício do álcool
Segundo o pai de Amy Winehouse, a cantora estava livre das drogas há três anos, mas nunca se tinha libertado do vício do álcool FOTO: d.r.

Em comunicado enviado esta terça-feira às agências de comunicação, Chris Goodman diz que não é claro que o álcool tenha tido qualquer papel na morte de Amy Winehouse, que, aos 27 anos, tinha um longo historial de dependências e já tinha efectuado várias curas de desintoxicação.

Segundo o pai da cantora, Mitchell Winehouse, a filha teria suplantado o problema das drogas há três anos, mas nunca o do álcool. No funeral de Amy Winehouse, que teve lugar a 26 de Julho, Mitchell revelou que a cantora estava determinada a ficar sóbria.

 

“Pai, já estou farta de beber. Já não posso ver a tua cara, nem a cara do resto da família”, teria dito Amy Winhouse poucos dias antes de morrer.

Cultura Música Amy Winehouse óbito drogas álcool inquérito
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)