Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
6

Aposta na diferença

Mário Dorminsky não pára e actualmente dorme apenas três horas por noite. Ao pelouro da Cultura e do Turismo da Câmara de Gaia, do qual é vereador, junta ainda o acompanhamento do festival FantasPorto, organizado pela Cooperativa Cinema Novo – que fundou.
8 de Dezembro de 2006 às 00:00
Aposta na diferença
Aposta na diferença FOTO: Cristina Pinto e Pinto
Este homem da Cultura prepara-se entretanto para abraçar um novo projecto, também no âmbito da Cinema Novo. Trata-se do pólo cultural MediaPlex, que pretende oferecer um espaço de cultura e lazer ao Porto que vai apostar na descoberta e na diferença, ao mesmo tempo que reanima o centro da cidade.
“É muito difícil gerir tudo. Nem ao cinema tenho ido, por falta de tempo”, admitiu Dorminsky ao CM, questionado sobre as suas múltiplas actividades. Mas nem por isso abranda o ritmo. “Agora dou mais valor aos momentos que tenho só para mim”, disse.
É precisamente o gozo pessoal que lhe dá o projecto MediaPlex que o leva a participar e a contribuir para o seu nascimento. A inauguração daquele que pretende ser um verdadeiro centro cultural está prevista para 16 de Fevereiro de 2007.
“A aposta não é arriscada. É uma aposta na diferença. O público que é atraído pelo cinema, na maioria um público jovem, procura mais do que o cinema comercial americano”, explicou o pai do Fantas.
Assim vai nascer no antigo complexo de salas Castello Lopes, do Central Shopping “a primeira estrutura da Europa totalmente preparada para o cinema digital”, que vai apostar principalmente no cinema alternativo. Distribuídos por seis salas vão estar os vários ‘cinemas’ (ver caixa), a estreia da semana – cinema comercial, mas “de qualidade” – e ainda curtas apresentações em jeito de ‘showcase’.
Mas nem só de cinema vive o MediaPlex. Exposições, debates, música e teatro também vão ter lugar no novo espaço, voltado para o audiovisual. “A aposta mais arriscada do MediaPlex é o facto de só trabalhar com cinema digital, porque a maior parte das distribuidoras portuguesas ainda não funciona assim”, concluiu Dorminsky.
SEIS SALAS E MUITOS 'CINEMAS'
Começou por se chamar MoviePlex, mas a multiplicidade de valências que vai albergar acabou por levar à alteração do nome para MediaPlex.
O cinema é a principal aposta do pólo cultural, mas a literatura, o teatro, a música e as exposições vão ajudar a complementar a programação. As salas Castello Lopes, do Central Shopping, estão fechadas há dois anos, mas vão ser reconvertidas pelo arquitecto Pais Vieira para se adaptarem ao projecto MediaPlex.
O complexo é composto por seis salas, onde vão ser distribuídos os diferentes tipos de cinema. A sala maior, com cerca de 400 lugares, vai acolher os espectáculos musicais e também a única onde vai ser exibido cinema comercial.
Nas restantes cinco salas – mais pequenas – vão ser distribuídos as diferentes cinematografias: cinema europeu – com grande destaque para o português –, asiático, independente norte-americano e curtas apresentações, numa espécie de café-concerto.
PERFIL
Mário Dorminsky nasceu a 30 de Abril de 1955 em Paranhos, Porto. É casado com Beatriz Pacheco Pereira e tem um filho, de 22 anos, João, designer gráfico. Ficou conhecido como o pai do conhecido festival FantasPorto, de que foi director. É o vereador da Cultura e do Turismo da Câmara de Gaia e também director da cooperativa Cinema Novo, que fundou.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)