Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
8

ARTE DINAMARQUESA MOSTRA-SE EM LISBOA

A escultora dinamarquesa Eli. Benveniste tem patente até ao próximo dia 9 a sua primeira exposição em Portugal, no Museu da Patriarcal, Praça do Príncipe Real, em Lisboa.
20 de Outubro de 2002 às 00:08
A mostra, intitulada “Acqua Passata”, é constituída por um conjunto de esculturas fabricadas em terracota e por uma série de trabalhos feitos em vidro colorido e transparente. Algumas das esculturas estão suspensas das colunas de pedra sobre a água no cenário do Reservatório da Patraiarcal.

ESCULTURAS ORGÂNICAS

“Eli. Benveniste está entre os mais talentosos jovens escultores dinamarqueses. Nas suas obras, estão patentes os grandes temas da vida de uma maneira palpável e ao mesmo tempo evasiva”, escreveu a propósito da artista o director do Museu de Arte de Holstebro, Folke Kjems.

“Eli. Benveniste prefere trabalhar com terracota, cuja textura potente e flexível se adapta melhor às suas esculturas orgânicas e aos seus trabalhos mais concretos. Consegue admiravelmente combinar originalidade e tradição”, acrescentou Folke Kjems.
Nascida em 1961 na capital dinamarquesa, Copenhaga, Eli. Benveniste habitou no seu país natal e ainda no Brasil, em Espanha, em Itália e em Portugal, vivendo metade de cada ano entre estes dois últimos países desde 1989.

A escultora participou em inúmeras exposições colectivas e individuais na Dinamarca e em Itália. Os seus trabalhos encontram-se expostos em galerias de diversos países.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)