Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
2

ARTISTAS VÃO À LUTA

Acampar à porta do ministro da Cultura para lhe pedir os subsídios? Inundar a cidade com sinais visíveis do descontentamento dos artistas - que ainda não receberam o dinheiro que lhes foi prometido em Fevereiro? Foram algumas das formas de protesto avançadas segunda-feira na Casa Conveniente, ao Cais do Sodré, Lisboa, onde se encontraram companhias seleccionadas pelo Ministério da Cultura (MC) para atribuição de subsídios anuais e pontuais mas que, até ao momento, ainda não receberam um tostão.
25 de Junho de 2003 às 00:00
Os artistas foram contemplados com subsídios que não foram pagos
Os artistas foram contemplados com subsídios que não foram pagos FOTO: Jordi Burch
Entretanto, algumas já contraíram empréstimos para continuar a trabalhar, outras estrearam os espectáculos previstos com dinheiro do seu próprio bolso, outras, finalmente, não tiveram outra solução senão cancelar as produções agendadas.
No encontro estiveram representadas companhias tão díspares como a Escola de Mulheres e o Teatro dos Aloés ou grupos recentíssimos como o Primeiro Sintomas e o Teatro do Vestido. O "drama", porém, é comum a todos: e se o dinheiro não vem? Ou se vem tarde de mais, pondo o trabalho em risco?
"Se o Ministério achou que os projectos tinham interesse público, quem está a ser lesado é, sobretudo, o público", afirmou Fernanda Lapa.
Contactada pelo CM, fonte do MC confirmou que já estão a pagamento os subsídios aos projectos pluridisciplinares e aos festivais de dança, música e teatro. Os pagamentos aos projectos anuais e pontuais ainda não têm data prevista, "mas o problema será resolvido, com certeza, em breve", concluiu a mesma fonte.
Enquanto o dinheiro não vem, as companhias prometem fazer barulho. Neste momento estão a elaborar um manifesto, a ser distribuído nos próximos dias.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)