Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
9

Aveiro recupera santos doentes

Há quatro dias deu entrada, nas urgências do Museu de Aveiro, antigo Mosteiro de Jesus, um ‘indivíduo’ do sexo masculino, aparentando cerca de 300 anos, cuja idade e proveniência são desconhecidas. Está registado com o nome de São João Evangelista, mas a identidade é falsa porque a imagem não corresponde. Apresenta diversas fissuras espalhadas pelo corpo e uma das mãos foi-lhe amputada.
27 de Novembro de 2006 às 00:00
Um dos utentes do serviço de urgência do Museu de Aveiro
Um dos utentes do serviço de urgência do Museu de Aveiro FOTO: Nuno Alegria, Lusa
É um dos muitos utentes do ‘hospital de todos os santos’, como é vulgarmente conhecido este serviço do museu, a funcionar no antigo Mosteiro de Jesus e que tem ‘utentes’ de sobra, mas precisa urgentemente de novas instalações, de mais pessoal e melhores equipamentos.
Os ‘pacientes’ – santos de madeira com centenas de anos – aguardam a sua vez pelos corredores, enquanto Sandra Drummond e Paulo Olim, nas suas batas brancas, vão atendendo os casos mais urgentes. São os únicos profissionais (um dos quais estagiário) que asseguram o trabalho no ‘banco de urgência’, quando o museu precisaria pelo menos de uma dezena, fora os ‘casos’ externos.
No entanto, nem tudo é mau: as obras de ampliação do serviço estão a decorrer e o novo material – incluindo equipamento de radiologia (que permite olhar para o interior dos bonecos de madeira) – está prometido. Até lá, se surgir uma situação de elevado risco, terá de ser encaminhada para o Instituto Português de Conservação e Restauro, em Lisboa, verdadeiro ‘hospital central’ dotado da mais recente tecnologia.
Os casos que oferecem menos cuidados continuam a ser tratados em Aveiro, saindo de lá ‘como novos’, prontos a ‘viver’ por mais alguns séculos.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)