Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
6

BOND 'INSULTA A NAÇÃO'

O novo filme de James Bond, “007 Morre Noutro Dia”, é acusado pelas autoridades da Coreia de Norte de “insultar a nação”.
14 de Dezembro de 2002 às 21:29
No filme realizado por Lee Tamahori, o agente secreto é preso e torturado durante 14 meses na Coreia do Norte antes de ser trocado por um prisioneiro coreano. Por essa razão, o Secretariado do Comité para a Reunificação Pacífica da Pátria pediu sábado aos Estados Unidos que cessassem a exibição da 20.ª aventura de 007, alegando que esta é um “insulto à nação coreana”, um filme “burlesco, sujo e maldicente”.

No seu pedido, o Secretariado diz que a película protagonizada por Pierce Brosnan e Haller Berry “prova claramente” que os Estados Unidos “são a raiz de todos os desastres e azares da nação coreana” e “um império do mal”.

O filme, continua o comunicado, descreve a “República Democrática Popular da Coreia do Norte como um ‘eixo do demónio’, incitando a confrontação entre as duas coreias” e mostra um país “atrasado” ao apresentar um agricultor a lavrar a terra com um arado puxado por uma vaca.
Ver comentários