Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
3

Botticelli e Dante em exposição na Calouste Gulbenkian até novembro

Reúne obras de artistas inspirados por ‘A Divina Comédia’.
Vanessa Fidalgo 26 de Setembro de 2021 às 09:54
Esta é a primeira exposição montada pela Fundação Calouste Gulbenkian desde o início da pandemia de Covid-19.
Esta é a primeira exposição montada pela Fundação Calouste Gulbenkian desde o início da pandemia de Covid-19.
Dois desenhos de Botticelli com mais de 500 anos estão agora expostos na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, e prometem dar acesso ao “quarto escuro” do inferno evocado no poema ‘A Divina Comédia’, de Dante.

Os desenhos inacabados “extremamente raros”, conforme descreveu João Carvalho Dias, responsável pelo comissariado científico da exposição, foram emprestados pela Biblioteca Apostólica Vaticana, que possui um conjunto de sete. São agora o centro da exposição intitulada ‘Visões de Dante. O Inferno segundo Botticelli’, que surge a pretexto das comemorações dos 700 anos da morte de Dante Alighieri (1265-1321).

O pintor renascentista Sandro Botticelli (1445-1510) terá criado mais de uma centena de desenhos inspirados na obra de Dante - escritor florentino, considerado o primeiro e maior poeta da língua italiana. Contudo, introduziu “um elemento de rutura, expande a visão do poeta e acrescenta a sua própria visão”, salientou João Carvalho Dias.

Aos desenhos de Botticelli, a exibição reúne obras de outros artistas igualmente inspirados pelo poema, como ‘A Eterna Primavera’, de Auguste Rodin, da Coleção do Museu Calouste Gulbenkian, além de várias edições raras do texto, oriundas de diferentes coleções institucionais e privadas.

Esta é a primeira exposição montada pela Fundação Calouste Gulbenkian após o início da pandemia de Covid-19. Está patente ao público até 29 de novembro.
Ver comentários