Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
7

Cannes abre porta da fama

Tem apenas 18 anos mas está a provocar uma guerra entre as principais editoras discográficas do Reino Unido. Chama-se Victoria Hart e, não fosse uma actuação em Cannes perante George Clooney e restantes estrelas do filme ‘Ocean’s 13’, teria de voltar ao trabalho como empregada de mesa num restaurante em Londres. Agora, segundo a imprensa britânica, prepara-se para embolsar quase três milhões de euros num contrato discográfico.
1 de Junho de 2007 às 00:00
Cannes abre porta da fama
Cannes abre porta da fama FOTO: d.r.
A história de Victoria Hart – que até é americana de nascimento – é um conto de fadas. Admiradora de jazz e empregada no restaurante Naked Turtle, a jovem saltou do anonimato na última edição do Festival de Cinema de Cannes, quando foi contratada para cantar num evento beneficente a favor das vítimas do Darfur. Um acontecimento para o qual teve de comprar um vestido Moschino que lhe custou dois meses de salário. Só que, entre a assistência, encontrava-se George Clooney, Bradd Pitt e Matt Damon.
“Nesse dia até estava com má disposição, mas quando me disseram que estavam lá o Bradd Pitt e o George Clooney desatei a rir. Não conseguia parar”, disse. No final do espectáculo Clooney descreveu-a como “simplesmente maravilhosa” e, desde então, Victoria tem sido alvo da cobiça das principais editoras. Na corrida estão a EMI, Universal e Sony-BMG. Segundo a sua agente (já tem uma) Victoria está “muito perto de assinar contrato”, disse, não especificando com qual editora.
À conta da prestação em Cannes Victoria tem já garantida presença no Festival de Glastonbury e o disco de estreia, ‘Whatever Happened to Romance’ deve chegar ao mercado ainda este ano.
Ironia do destino, Victoria começou a cantar precisamente em Cannes, tinha então 15 anos. Mas não resultou e voltou a Inglaterra. Em Londres, o restaurante já fez saber que lhe guarda o lugar e Victoria diz que não pretende largar o lugar de empregada de mesa... apenas quer trabalhar menos.
PERFIL
Victoria Hart nasceu na Califórnia (EUA) em 1988 e mudou-se para Inglaterra (Essex) aos cinco anos. Em 2000 mudou-se para França mas regressou a Inglaterra cinco anos depois. Canta em três línguas e cita Amy Winehouse, Eva Cassidy, Aretha Franklin e Ella Fitzgerald como as suas principais inspirações. Apesar do contrato discográfico diz que não pretende abandonar o emprego no restaurante de Londres.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)