Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura

Reações ao reconhecimento do cante alentejano

Presidente da República salienta homenagem a um "canto do povo".
27 de Novembro de 2014 às 11:06
Cante alentejano foi esta quinta-feira classificado como Património Cultural Imaterial da Humanidade
Cante alentejano foi esta quinta-feira classificado como Património Cultural Imaterial da Humanidade FOTO: Nuno Veiga/Lusa

O Presidente da República, Cavaco Silva, felicitou esta quinta-feira os grupos de cante alentejano distinguidos como Património Cultural Imaterial da Humanidade pelo Comité Internacional da UNESCO, salientando tratar-se de uma homenagem a um "canto do povo".

Em nota publicada no 'site' oficial da Presidência da República, Cavaco Silva salienta que a cultura portuguesa é "colocada em destaque no panorama internacional", adiantando que se homenageia uma "arte que nasceu de uma tradição vernacular e rural, um canto do povo, que é tão belo como as planícies do Alentejo onde nasceu".

De acordo com a nota de Cavaco Silva, o cante alentejano traduz "os valores de um povo através das modas, poemas tradicionais cantados sem recurso a acompanhamento com instrumentos musicais". Desta forma, prossegue o Presidente da República é "essencial preservar esta poética e riqueza musical e assegurarmos a sua transmissão às próximas gerações", sublinhando que o cante é" a marca e um sinal de um povo", assim como "a expressão mais genuína e autêntica da sua identidade".


"É o reconhecimento do valor da cultura portuguesa, neste caso, um canto do povo que reflete de alguma forma a beleza das planícies alentejanas", afirmou o chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, em declarações aos jornalistas no Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

Passos Coelho fala em "sentimento de orgulho"

O primeiro-ministro Pedro Passos Coelho manifestou esta quinta-feira um "sentimento de orgulho" pelo reconhecimento do cante alentejano como Património Cultural Imaterial da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).


Em comunicado enviado à agência Lusa, Pedro Passos Coelho partilha o "sentimento de orgulho pelo reconhecimento do cante alentejano" a património cultural e destaca que a consagração pela UNESCO é "a devida homenagem à grande comunidade do cante alentejano", especialmente aos seus intérpretes, "que o elevaram a uma arte vibrante e plenamente consagrada"


O cante alentejano, um canto coletivo, sem recurso a instrumentos e que incorpora música e poesia, foi esta quinta-feira classificado como Património Cultural Imaterial da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).

Governo disponível para "ajudar a projetar"

O secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, congratulou-se esta quinta-feira com a classificação do cante alentejano como Património da Humanidade, pela UNESCO, realçando a disponibilidade do Governo para "ajudar a projetar" esta prática cultural.

"É um dia muito feliz para Portugal. O Governo está muito feliz por este trabalho conjunto que foi desenvolvido", disse à agência Lusa o governante que tutela a pasta da Cultura

Reconhecimento é "marco histórico"

O reconhecimento do cante alentejano como Património Cultural Imaterial da Humanidade representa um "marco histórico na vida dos grupos corais" e cria uma "enorme responsabilidade" que deve envolver "todas as entidades", considerou esta quinta-feira a associação Moda.


A decisão da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) "engrandece e orgulha a comunidade do cante e constitui um marco histórico na vida dos grupos corais e dos cantadores, que são por excelência os fiéis detentores e transmissores deste património", afirmou a Moda - Associação do Cante Alentejano em comunicado enviado à agência Lusa.

"Marcante para os alentejanos"

O presidente da Casa do Alentejo, João Proença, destacou que o dia de hoje (quinta-feira), marcado pela consagração do cante alentejano como Património da Humanidade, é "marcante para os alentejanos" e "um orgulho muito grande para o país".


"É um dia marcante para os alentejanos e acredito que é também um orgulho muito grande para o país, na medida em que o cante alentejano é hoje apreciado de norte a sul" de Portugal, congratulou-se.

"Futuro ainda mais risonho"

O presidente da Câmara de Serpa (Beja) manifestou esta quinta-feira "enorme satisfação" com a classificação do cante alentejano como Património da Humanidade, considerando que poderá permitir "um futuro ainda mais risonho" para o cantar típico do Alentejo.


A inscrição do cante alentejano na lista de Património Cultural Imaterial da Humanidade, decidida esta quinta-feira, "é uma enorme satisfação e o culminar de um longo processo, de muito trabalho e de alguns problemas e barreiras, que tiveram de ser ultrapassados", disse à agência Lusa Tomé Pires, que se encontra em Paris.

PCP saúda reconhecimento de símbolo "excecional"
O PCP saudou esta quinta-feira o reconhecimento do cante alentejano como Património Cultural Imaterial da Humanidade, pelo seu valor "excecional" como símbolo do Alentejo, da sua tradição e cultura, considerando ser um motivo de orgulho para todos os portugueses.


"O PCP saúda a decisão do Comité Internacional da UNESCO de inscrever o cante alentejano como Património Cultural Imaterial da Humanidade", escreve o Partido Comunista, num comunicado enviado à agência Lusa.

Classificação traz "grande responsabilidade"

O presidente da Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo (CIMBAL) e da Câmara de Beja mostrou-se esta quinta-feira satisfeito com a classificação do cante alentejano como Património da Humanidade, sublinhando que "traz uma grande responsabilidade" na salvaguarda daquela tradição.


"Vejo com a maior satisfação o reconhecimento do cante alentejano como Património Cultural Imaterial da Humanidade", disse à agência Lusa João Rocha.

Grupo coral de Grândola "honrado"

O responsável pelo Grupo Coral e Etnográfico da Coop de Grândola manifestou-se esta quinta-feira "honrado" pelo reconhecimento do cante alentejano como Património Cultural Imaterial da Humanidade, mas pediu apoios para "manter viva a chama" dos grupos.


"Estamos muito honrados pelo reconhecimento", afirmou à agência Lusa José Jesus, pedindo, no entanto, às "entidades oficiais, nomeadamente às câmaras", para terem "mais uma atenção" para a falta de meios dos grupos.

Câmara de Cascais congratula-se

A Câmara de Cascais congratulou-se esta quinta-feira com o reconhecimento do cante alentejano como Património Cultural Imaterial da Humanidade, uma arte que considera estar muito ligada ao município por ter uma grande comunidade de alentejanos.


"A identidade de Cascais é, por mais improvável que à primeira vista pudesse parecer, fortemente marcada pela presença alentejana. O cante é um traço da nossa portugalidade, que une as margens do Atlântico de Cascais às planícies do Alentejo", revela a autarquia em comunicado.

É "uma enorme vitória"

O presidente do Turismo do Alentejo e Ribatejo, Ceia da Silva, considerou esta quinta-feira "uma enorme vitória" a classificação do cante alentejano como Património Cultural Imaterial da Humanidade da UNESCO, sublinhando ser um "orgulho" para o país.


Em declarações à agência Lusa, o responsável afirmou que se trata de uma "grande satisfação e um enorme orgulho" esta distinção, sublinhando que é "uma enorme vitória não só para o Alentejo, mas também para Portugal".

"Um orgulho muito grande"

A diretora regional de Cultura do Alentejo, Ana Paula Amendoeira, manifestou esta quinta-feira à agência Lusa "um orgulho muito grande" pela classificação do cante alentejano pela UNESCO como Património da Humanidade, uma decisão tomada "por unanimidade".


"É um orgulho muito grande, porque esta nossa candidatura é muito boa. Foi apontada como exemplar, pelo presidente do comité intergovernamental da UNESCO, e não teve nenhuma objeção, reparo ou emenda. Foi aprovada por unanimidade", congratulou-se.

"Motivo de orgulho"

O PCP/Alentejo regozijou-se esta quinta-feira com a classificação do cante alentejano como Património da Humanidade, que é "motivo de orgulho" para o povo português e vai contribuir para salvaguardar, promover e reforçar a dinâmica daquela tradição.


A decisão da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) é "motivo de orgulho e de grande satisfação para os alentejanos e o povo português", referem a Direção Regional do Alentejo (DRA) e Direção da Organização Regional de Beja (DORBE) do PCP, em comunicados enviados à agência Lusa.

"Sinal de reconhecimento internacional"

O musicólogo Rui Vieira Nery disse esta quinta-feira que Portugal e a cultura portuguesa estão de parabéns, considerando a classificação do cante alentejano como património da UNESCO mais um sinal do reconhecimento internacional da riqueza das tradições populares culturais do país.


"Hoje quem está particularmente em festa são os praticantes do cante alentejano, aqueles que lhe dão corpo, lhe dão voz, mas é também a cultura portuguesa toda no seu conjunto porque é um género muito especial, muito particular no panorama das músicas tradicionais rurais europeias", referiu à agência Lusa o responsável da Gulbenkian.

Évora e Elvas "aplaudem" cante

Os autarcas de Évora e de Elvas, as duas cidades alentejanas com Património da Humanidade classificado pela UNESCO, mas na lista dos bens edificados, aplaudiram esta quinta-feira a proclamação do cante alentejano como Património Cultural Imaterial da Humanidade.


No caso de Évora, desde 1986, é o seu centro histórico que é Património da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), enquanto Elvas ostenta, desde 2012, a mesma classificação para as fortificações abaluartadas da cidade.


Em comunicado enviado à agência Lusa, o presidente da Câmara de Évora, Carlos Pinto de Sá, realçou que é "o Alentejo, no seu todo, que está de parabéns" com a decisão tomada esta quinta-feira pela UNESCO de inscrever o cante alentejano na lista representativa do Património Cultural Imaterial da Humanidade.

Jerónimo de Sousa saúda decisão

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, saudou esta quinta-feira o reconhecimento do cante alentejano como Património Cultural Imaterial da Humanidade, considerando que vale a pena persistir na defesa da cultura e das artes.


"É o reconhecimento de uma expressão profunda da cultura portuguesa identitária", afirmou Jerónimo de Sousa, numa declaração aos jornalistas, no parlamento.

Verdes congratulam oportunidade para promover desenvolvimento

O Partido Ecologista 'Os Verdes' (PEV) manifestou esta quinta-feira a expetativa de que a decisão da UNESCO promova o desenvolvimento da região do Alentejo. "'Os Verdes' estão confiantes que o reconhecimento agora obtido vai contribuir para consolidar este património e dar-lhe ainda mais vida e esperam que esta venha a ser uma oportunidade para trazer desenvolvimento a uma região que tanto tem sido abandonada pelo poder central", afirma o PEV, em comunicado.


O PEV considerou que é motivo de orgulho o reconhecimento, por parte da UNESCO, do valor "patrimonial excecional" de uma expressão artística que constitui um "fator identitário do Alentejo e dos alentejanos".

Autarca quer distinção para bonecos em barro de Estremoz

O presidente da Câmara de Estremoz, Luís Mourinha, satisfeito pela proclamação do cante alentejano como Património da Humanidade, disse esta quinta-feira desejar idêntica distinção da UNESCO, no futuro, à produção dos bonecos em barro típicos do concelho.


"Esta distinção do cante alentejano é importante para o Alentejo, é a valorização do povo e da cultura alentejana", realçou o autarca alentejano. Luís Mourinha frisou que espera "um resultado idêntico" para a futura candidatura da produção de bonecos de Estremoz, feitos em barro, a Património Cultural Imaterial da Humanidade, pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).

PSD enaltece "matriz do Alentejo"

O deputado do PSD Cristóvão Crespo manifestou esta quinta-feira grande regozijo pelo reconhecimento do cante alentejano como Património Cultural Imaterial da Humanidade, que sublinhou já atrair a adesão dos mais jovens e de mulheres. "É grande o regozijo pelo reconhecimento de uma arte genuína de um povo que os portugueses sentem, e os alentejanos de forma particular", disse Cristóvão Crespo, eleito por Portalegre, em declarações aos jornalistas, no parlamento.


O deputado sublinhou que o processo de construção da candidatura mobilizou a sociedade portuguesa e que atualmente já se verifica a adesão dos mais novos e das mulheres ao cante alentejano, "matriz que é a marca do Alentejo".

Museu da Música: Portugal vai ser reconhecido por esta prática

"Portugal, além do fado, vai passar a ser conhecido por uma prática tão importante como é o cante alentejano", disse à Lusa a diretora do Museu da Música, Graça Mendes Pinto.

Mendes Pinto afirmou que esta distinção pela UNESCO "vai incentivar as recolhas de campo". "O cante alentejano é a expressão da vida do Alentejo, que retrata a alma do povo alentejano", disse Graça Mendes Pinto, que realçou como esta prática imigrou do Alentejo para outras zonas geográficas, acompanhando a deambulação de naturais desta região para outras.

Gaiteiros de Lisboa: Distinção "não é ato de salvação"

Carlos Guerreiro, responsável pelo grupo, disse à Lusa estar "muito contente" com a classificação atribuída pela UNESCO ao cante alentejano, reforçando que este não é um ato de salvação "porque a música alentejana não estava de maneira nenhuma em extinção". "Dá mais visibilidade à música portuguesa, o que é sempre saudável. Foi o fado, agora o cante alentejano", lembrou.


Para o compositor e intérprete dos Gaiteiros de Lisboa, o cante alentejano "é um elemento cultural agregador que ainda está vivo e tem um papel social no Alentejo ou em comunidades onde existam alentejanos".

Assunção Esteves manifesta "grande contentamento"

A presidente da Assembleia da República, Assunção Esteves, manifestou esta sexta-feira o seu "grande contentamento" pelo reconhecimento do cante alentejano como património cultural da humanidade pela UNESCO.


"A mais bela expressão de um sentir intenso e coletivo, a um tempo dor e desafio, o cante tem na humanidade a sua casa e também a substância de que é feito", refere Assunção Esteves, numa nota enviada à comunicação social.

cante alentejano classificação UNESCO orgulho portugal
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)