Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
3

‘CASABLANCA’ GANHA NO AMOR

Quando toca a filmes de amor, já não os fazem como dantes. Pelo menos esta é a opinião de realizadores, argumentistas, actores e outros profissionais ligados à indústria cinematográfica sondados pelo Instituto Americano do Filme.
12 de Junho de 2002 às 23:00
Bogart e Bergman em Casablanca
Bogart e Bergman em Casablanca
A auscultação deu a vitória a “Casablanca”, considerada a melhor história de amor jamais contada no cinema. Realizado em 1942 por Michael Curtiz, o filme é um dos maiores clássicos da Sétima Arte, protagonizado por Ingrid Bergman e Humphrey Bogart. Vencedor de três Óscares, incluido filme do ano, “Casablanca” tem ainda um valor acrescentado: o tema “As Time Goes By”, interpretado por Dooley Wilson.


Na lista dos 100 mais tornada pública pelo referido Instituto, o segundo lugar é ocupado por “E Tudo o Vento Levou” (1939), com Clark Gable e Vivien Leigh nos papéis do arrogante Rhett Butler e da determinada Scarlett O’Hara, respectivamente, saídos da imaginação da escritora Margaret Mitchell.


Logo de seguida, em terceiro, surge a história de um amor impossível: o de Tony e Maria, de “West Side Story”, o musical realizado por Robert Wise em 1961.


Não deixa de ser curioso que, nesta sondagem, nenhum filme com menos de 40 anos tenha chegado aos cinco primeiros lugares e apenas dois produzidos nos anos 70, estejam entre os dez melhores: “O Nosso Amor de Ontem”, em 6o, e “História de Amor”, em 9o.


Voltando à tabela dos cinco, o 4o posto é ocupado por “Férias em Roma”, uma comédia de 1952 com Audrey Hepburn e Gregory Peck, seguido, em 5o, de “O Grande Amor da Minha Vida”, com o par Cary Grant/Deborah Kerr.


A completar a lista dos dez mais, temos “Doutor Jivago” (1965), em 7o, “Do Céu Caiu uma Estrela” (1946) e “Luzes da Cidade”, em 8o (1931), e 10o, respectivamente.


Curiosamente, em sete dos dez filmes apreciados, os casais não ficam juntos no final e o Instituto contabilizou 187 lutas e 260 cenas que incluem beijos.


Na lista das 100 películas, o recorde pertence a Cary Grant com maior número de aparições enquanto Katharine Hepburn ganha no que se refere a papéis românticos em filmes como “Adivinha Quem Vem Jantar?” e “A Casa do Lago”.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)