Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
4

Cavaleiro Luís Rouxinol cantou mais alto

Não foram fáceis, para cavaleiros e forcados, os toiros de Pinto Barreiros que, embora manseando (no geral), mostraram casta e poder na corrida de anteontem na praça de toiros de Almeirim.
3 de Maio de 2006 às 00:00
Pouca sorte teve Joaquim Bastinhas (a quem tocou um ‘sobrero’ bronco e feiote), que não permitiu mais do que dignidade e experiência numa lide difícil. Rui Salvador, acusando talvez pouca rodagem, ‘desentendeu-se’ no modo como não sacou maior proveito do seu oponente, que tinha outra lide.
Luís Rouxinol está em alta e ‘cantou’ alto na lide ao terceiro, cumpridor, atingindo brilho na ligação toiro/cavalo, na variedade das sortes e nos remates, não faltando vibração e emoção que chegou às bancadas.
Manuel Telles Bastos, todo um senhor toureiro, sereno e clássico, no modo como coloca os toiros, cita de largo e crava no sítio saindo pelo pitón contrário, distinguiu-se entre os mais jovens. Manuel Lupi, a quem tocou o mais ‘voluntário’ do lote, andou bem ao seu estilo, com alguma velocidade a mais mas acertando na ferragem. Marcos Tenório fechou a corrida, com um toiro que adiantava perigosamente, numa lide que teve mérito pela valentia e entrega.
Boa actuação dos grupos de forcados, com pegas espectaculares e de boa técnica de José Maria Cortes, Rodrigo Pietra e Gonçalo Saúde (por Montemor) e Pedro Marques, João Rodrigues e José Briuegas (pela Moita).
Bons apontamentos na brega e direcção acertada de José Pedro Gomes.
PRAÇA DE ALMEIRIM
DATA: 1 de Maio 2006
EVENTO: Corrida à Portuguesa
ASSISTÊNCIA: 3000 pessoas
DIRECTOR: José Pedro Gomes
CARTEL: J. Bastinhas, R. Salvador, L. Rouxinol, prat. M. Telles Bastos, M. Lupi e M. Tenório; forc. Montemor e Ap. Moita (gan. P. Barreiros).
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)