Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
3

Cerimónias fúnebres de António Torrado têm início domingo na Basílica da Estrela

Corpo do escritor de 81 anos será depositado no jazigo dos artistas, no Cemitério dos Prazeres, em Lisboa.
Lusa 12 de Junho de 2021 às 21:35
António Torrado tinha 81 anos
José Jorge Letria e António Torrado
António Torrado tinha 81 anos
José Jorge Letria e António Torrado
António Torrado tinha 81 anos
José Jorge Letria e António Torrado
O velório do escritor António Torrado, que morreu na sexta-feira, começa no domingo, às 15:00 na Basílica da Estrela, em Lisboa, e o funeral no dia seguinte, no Cemitério dos Prazeres, disse hoje fonte próxima da família.

A mesma fonte adiantou que, na segunda-feira, as cerimónias fúnebres têm início às 14:00, com uma missa, sendo o corpo do escritor de 81 anos depositado depois no jazigo dos artistas, no Cemitério dos Prazeres, em Lisboa.

O escritor português António Torrado, autor de mais de uma centena de obras literárias, em particular para a infância, morreu na sexta-feira, em casa, em consequência de doença prolongada, revelou à Lusa o escritor José Jorge Letria.

Poeta e dramaturgo premiado, antigo professor do ensino secundário, António Torrado esteve desde cedo ligado à pedagogia, à produção literária para os mais novos, à recuperação e reinterpretação do conto tradicional e à promoção da leitura.

António Torrado nasceu em Lisboa, em 1939, formou-se em Filosofia em Coimbra e dedicou-se ao ensino na década de 1960, até ser afastado por motivos políticos

Na sexta-feira, a ministra da Cultura, Graça Fonseca, lamentou a morte do escritor que recordou como um "nome maior" e uma "referência incontornável" da literatura portuguesa.

"A ministra da Cultura, Graça Fonseca, lamenta profundamente a morte do escritor António Torrado (1939-2021), poeta, ficcionista, dramaturgo e nome maior da literatura infantojuvenil portuguesa", lê-se numa nota divulgada pelo Gabinete de Estratégia, Planeamento e Avaliação Culturais.

A governante classificou também o autor como "mestre da língua portuguesa", destacando o seu sentido de humor e empatia "únicos".

Para Graça Fonseca, António Torrado "é uma referência incontornável da literatura portuguesa das últimas décadas", com uma "notável obra" que é testemunho "do valor transformador da imaginação e da fantasia" e da memória, constituindo ainda um repositório da tradição literária portuguesa.

"Através dos seus textos, o passado, o presente e o futuro da literatura portuguesa comunicam permanentemente, numa obra que ensinou muitos a ler e, mais do que isso, a sonhar e acreditar na realidade mágica dos mundos criados a partir das páginas e da tinta", acrescentou, prestando condolências à família e amigos do autor.

Ver comentários