Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
9

Chiado perde livraria

Sá da Costa encerra na segunda-feira, 100 anos após abrir portas
20 de Julho de 2013 às 01:00

Viveu durante 100 anos, mas as dívidas ditaram o seu fim. A livraria centenária Sá da Costa, na rua Garrett, em Lisboa, deverá fechar portas já na segunda-feira.

Símbolo cultural da capital portuguesa, a Sá da Costa foi considerada insolvente pelo Tribunal do Comércio de Lisboa, uma vez que o plano de viabilização para a empresa não foi aprovado. Desta forma, a loja terá que ser encerrada e todo o património da livraria será posto à venda de forma a liquidar as dívidas acumuladas para com a banca, trabalhadores e o Estado.

A livraria foi posta à venda em 2010 com uma base de licitação de 175 000 euros. Já em 2011, face ao insucesso verificado no ano anterior, o tribunal decretou a venda judicial pelo mínimo de 415 498 euros, mediante proposta em carta fechada. Foram feitas duas ofertas, mas a venda da livraria não foi avante.

O comentador político Pacheco Pereira disse ao CM que o Chiado vai tornar-se numa zona "muito pouco interessante para quem não queira comprar roupa, comer gelados ou fast food". Já o presidente da Sociedade Portuguesa de Autores, José Jorge Letria, afirma que "não foram esgotadas todas as possibilidades para salvar "a livraria no que diz respeito à intervenção da autarquia e da Secretaria de Estado da Cultura. A escritora Lídia Jorge diz que a situação financeira do País "é um pretexto para haver mortes naturais" em vários sectores, incluindo a cultura.

Paulo Ferrero, do Fórum Cidadania Lisboa, afirma que este encerramento reflete uma "falta de apoio a estas atividades" por parte da autarquia lisboeta. O CM tentou contactar com a Câmara de Lisboa, que se recusou a prestar quaisquer declarações.

LIVRARIA CHIADO ENCERRAMENTO FECHO
Ver comentários