Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
9

Conde vira rei dos livros

O empresário Miguel Pais do Amaral fortaleceu ontem a sua posição no mercado livreiro nacional ao juntar as editoras Dom Quixote e Nova Gaia à Texto Editores, Caminho, Asa e Gailivro que já possuía.
29 de Dezembro de 2007 às 00:00
Ao CM, António Baptista Lopes, presidente da Associação Portuguesa de Editores e Livreiros, assinalou que “não se pode falar em monopólio” pois o ex-homem forte da TVI ficará com uma quota de “mercado de 15 a 20 por cento” num volume de negócios anual que se situa “entre os 500 e os 600 milhões de euros”.
Com alguns dos maiores nomes da literatura lusófona sob a alçada – casos de José Saramago, António Lobo Antunes, Mia Couto, Alice Vieira, Manuel Alegre, Agustina Bessa-Luís ou Pepetela – o empresário “finaliza o primeiro ciclo de aquisições com vista à criação de um grupo editorial líder de mercado em Portugal e nos países de língua oficial portuguesa”, conforme explica o próprio em comunicado.
Na mesma nota, Pais do Amaral adianta que se seguirá “uma fase de reorganização interna e de crescimento orgânico que, a médio prazo, permitirá criar um grupo suficientemente forte para iniciar um segundo ciclo de aquisições fora de Portugal, nomeadamente no mercado brasileiro”.
Por outro lado, a Nova Gaia permitirá ao grupo reclamar uma posição de vice-liderança no segmento das edições escolares “com uma quota de mercado próxima dos 30 por cento”.
Conhecida como a casa dos autores portugueses, a Dom Quixote era detida a cem por cento pelo grupo espanhol Planeta, que em comunicado destacou a importância da editora passar a integrar “um projecto líder e com a dimensão e ambição de crescimento oferecida pelo grupo presidido por Pais do Amaral atingindo novas quotas de mercado”.
PERFIL
Miguel Maria de Sá Pais do Amaral, conde de Anadia, nasceu em Lisboa há 52 anos. É casado e tem dois filhos. Licenciado em Engenharia Mecânica, presidiu ao grupo Media Capital (que controlava a TVI).
Ver comentários