Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
1

Conrad Murray rejeita depor na sua própria defesa

O médico de Michael Jackson disse ‘não’ ao facto de poder testemunhar na sua própria defesa, durante o julgamento que está a decorrer em Los Angeles, onde é acusado de homicídio involuntário do rei da pop, que morreu por consumo exagerado de propofol em Junho de 2009.
2 de Novembro de 2011 às 12:36
Prince, Paris e o pequeno 'Blanket' homenagearam o pai num tributo que decorreu no dia 8 de Outubro, em Londres
Advogado de acusação apresenta amostra de propofol, substância que terá morto Jackson
Imagens do quarto de Jackson, logo após a sua morte, a 25 de Junho de 2009, também foram apresentadas
Juiz Michael E. Pastor conduz o polémico caso
Conrad Murray começou a ser ouvido no final de Setembro e as audiências têm-se sucedido
Imagens de Jackson na maca, depois de morto, chocaram presentes no tribunal
Cama de Michael Jackson pode dar pistas sobre o que aconteceu
Notas sobre a autópsia ao corpo do rei da pop foram exibidas
Investigadora forense Elissa Fleak, inquirida no dia 6 de Outubro, assumiu que cometeu alguns erros na análise dos medicamentos encontrados no quarto do rei da pop
Medicamento foi exibido pela acusação que associa a saída de Murray do quarto de Jackson como determinante para morte de Jackson
Imagens de Michael Jackson foram divulgadas para tentar perceber causa da morte
Médico tem estado em tribunal sempre acompanhado da sua equipa de advogados
Camisola com sangue, encontrada no quarto do rei da pop, também foi apresentada como prova
Projecções sobre a dose de propofol encontrada no quarto de Jackson chegaram ao tribunal
Irmãos Janet e Tito Jackson estiveram presentes na primeira audiência de Murray
Prince, Paris e o pequeno 'Blanket' homenagearam o pai num tributo que decorreu no dia 8 de Outubro, em Londres
Advogado de acusação apresenta amostra de propofol, substância que terá morto Jackson
Imagens do quarto de Jackson, logo após a sua morte, a 25 de Junho de 2009, também foram apresentadas
Juiz Michael E. Pastor conduz o polémico caso
Conrad Murray começou a ser ouvido no final de Setembro e as audiências têm-se sucedido
Imagens de Jackson na maca, depois de morto, chocaram presentes no tribunal
Cama de Michael Jackson pode dar pistas sobre o que aconteceu
Notas sobre a autópsia ao corpo do rei da pop foram exibidas
Investigadora forense Elissa Fleak, inquirida no dia 6 de Outubro, assumiu que cometeu alguns erros na análise dos medicamentos encontrados no quarto do rei da pop
Medicamento foi exibido pela acusação que associa a saída de Murray do quarto de Jackson como determinante para morte de Jackson
Imagens de Michael Jackson foram divulgadas para tentar perceber causa da morte
Médico tem estado em tribunal sempre acompanhado da sua equipa de advogados
Camisola com sangue, encontrada no quarto do rei da pop, também foi apresentada como prova
Projecções sobre a dose de propofol encontrada no quarto de Jackson chegaram ao tribunal
Irmãos Janet e Tito Jackson estiveram presentes na primeira audiência de Murray
Prince, Paris e o pequeno 'Blanket' homenagearam o pai num tributo que decorreu no dia 8 de Outubro, em Londres
Advogado de acusação apresenta amostra de propofol, substância que terá morto Jackson
Imagens do quarto de Jackson, logo após a sua morte, a 25 de Junho de 2009, também foram apresentadas
Juiz Michael E. Pastor conduz o polémico caso
Conrad Murray começou a ser ouvido no final de Setembro e as audiências têm-se sucedido
Imagens de Jackson na maca, depois de morto, chocaram presentes no tribunal
Cama de Michael Jackson pode dar pistas sobre o que aconteceu
Notas sobre a autópsia ao corpo do rei da pop foram exibidas
Investigadora forense Elissa Fleak, inquirida no dia 6 de Outubro, assumiu que cometeu alguns erros na análise dos medicamentos encontrados no quarto do rei da pop
Medicamento foi exibido pela acusação que associa a saída de Murray do quarto de Jackson como determinante para morte de Jackson
Imagens de Michael Jackson foram divulgadas para tentar perceber causa da morte
Médico tem estado em tribunal sempre acompanhado da sua equipa de advogados
Camisola com sangue, encontrada no quarto do rei da pop, também foi apresentada como prova
Projecções sobre a dose de propofol encontrada no quarto de Jackson chegaram ao tribunal
Irmãos Janet e Tito Jackson estiveram presentes na primeira audiência de Murray

Conrad Murray foi, esta terça-feira, inquirido pelo juiz para saber se no encerramento iria sentar-se no banco das testemunhas.

“Não vou depor nesta matéria”, disse, citado pela agência Reuters.

Sujeito a uma pena de prisão que pode ir até aos quatro anos, Conrad Murray negou qualquer negligência na morte do criador de ‘Thriller’.

O médico assume que deu uma pequena dose de propofol na noite fatídica, para ajudar Jackson a combater as insónias, e alega que a sobredosagem terá sido administrada pelo próprio cantor, sem o seu conhecimento.

michael jackson conrad murray propofol julgamento morte homicídio los angeles
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)