Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura

Constantine deixa políticos entre o Céu e o Inferno

'Constantine’ esteve anteontem em estreia europeia na gala de abertura do Fantasporto, com apertada vigilância à pirataria. A megaprodução, com um orçamento de 250 milhões de dólares, leva o espectador a um imaginário de demónios e anjos que têm na Terra o campo de batalha, com o objectivo de levar almas para o Inferno ou para o Céu.
23 de Fevereiro de 2005 às 00:00
E o presidente da Câmara do Porto, Rui Rio, e o líder da concelhia socialista do Porto, Nuno Cardoso, vivem no Céu ou no Inferno?
Rui Rio diz que na sua vida já esteve muitas vezes no inferno. Mas, depois da derrota do PSD no fim-de-semana, como vai ser a sua vida? “Eu ajudo a fazer o céu e o inferno. Mas depende de como os outros olham para a minha gestão e de como a faço”, explicou. Quanto ao futuro do País, com maioria socialista, Rui Rio responde com um lacónico: “Toda a gente sabe o que eu penso.”
Do outro lado da barricada, para Nuno Cardoso o ambiente está mais desanuviado. “Estivemos três anos no inferno ou no purgatório”, constatou o dirigente do PS, que continua, disparando: “Quanto ao diabo, não personalizo, ele esteve incorporado na falta de ambição e de perspectiva dos dirigentes.” Para Cardoso os próximos anos não serão de paraíso, mas de mais “confiança”, afiançou.
Teresa Pacheco Pereira, organizadora do Fantasporto, aponta para cima onde vê o futuro do festival “no Céu, pelo menos vamos acabar com um espectáculo de pirotecnia”. Para a irmã de Pacheco Pereira havia algumas almas que gostava de recuperar do Inferno como “o Marquês de Sade que não merecia lá estar”, disse.
‘Constantine’ promete ser um êxito de bilheteira não só pela fantástica produção, como também pela forma como mistura o sobrenatural com um humor mundano.
SUGESTÕES PARA HOJE
'SIDEWAYS'
O realizador de ‘About Schmidt’, Alexander Payne, reaparece com um filme que conta com cinco nomeações para os Óscares. ‘Sideways’ é uma tragicomédia sobre o amor e a amizade, envolvida pela sombra persistente da solidão.
JAPONÊS
Com quatro filmes orientais, destaque para ‘Dead Or Alive’ do ícone do cinema japonês Takashi Miike. Numa sociedade do futuro, um polícia e um androíde estão envolvidos numa guerra cruel e delirante, com muita violência à mistura.
RETROSPECTIVA
Dois grandes filmes estão em retrospectiva. ‘Intacto’, do espanhol Fresnadilo, sobre a sorte e o jogo e o clássico do festival ‘Amores Perros’, de Iñarritu, em que a acção é despoletada por um acidente de viação que gera três histórias.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)