Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
7

CORTO MALTESE ABRE FNAC DE ALMADA

Uma exposição inédita de “Corto Maltese” é a atracção maior da nova loja Fnac, que hoje é inaugurada no Centro Comercial Almada Forum.
18 de Outubro de 2002 às 00:10
Composta por 20 pranchas e “storyboards” do filme de Pascal Morelli, a mostra foi estreada em Paris há duas semanas, referiu Laura Serani, directora das Galerias Fnac em Portugal. “Trata-se da primeira exposição de BD que a Fnac faz em Portugal e uma das primeiras a nível mundial no espaço Galeria”, disse a propósito, Imma Turbau, da Acção Cultural desta loja.

Do programa de inauguração da nova loja constam o lançamento de “O Livro de Agustina Bessa Luís” (13h00), um espectáculo com Elisa, uma cantora “soul” italiana (17h30), sendo a noite por conta do expoente da melancolia pop, Perry Blake (21h30). O músico irlandês é, de resto, “o padrinho” para a música, enquanto a “madrinha” para a literatura é Inês Pedrosa. Paulo Trancoso é o “padrinho” no cinema.

Promover intercâmbio

A Fnac de Almada (sexta loja em Portugal) contou com um investimento inicial de quatro milhões de euros e tem uma área de 1700 metros quadrados de superfície.

Afirmar-se como “um pólo de intercâmbio cultural, diálogo e descoberta na Margem Sul” é o principal objectivo do novo espaço, de acordo com Ernesto Damião, director da loja. O espaço conta ainda com cinco salas temáticas (infantil, literatura, internacional, Arte e BD, livro técnico e prático) e 25 mil referências em exposição, com destaque para o livro técnico e para a selecção de livros em língua russa.

No que respeita à música, o destaque vai para os mais de 100 postos de escuta de discos, que permitirão ao público ouvir os seus títulos preferidos. E há muito por onde escolher, já que a loja dispõe de 35 mil referências e 70 mil CD em exposição.

Uma sala DVD com ecrã plasma para audição e visionamento de obras de música clássica é outra dos trunfos da loja de Almada.
Ver comentários