Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
7

CRISTINA BRANCO DE OURO

A cantora portuguesa Cristina Branco acaba de receber mais um disco de ouro na Holanda por vendas superiores a 35 mil unidades do seu mais recente trabalho "Corpo Iluminado". É a terceira vez que a fadista é premiada naquele país depois de ter visto o álbum "Cristina Branco canta Slauerhoff" (que em Portugal recebeu o nome de "O Descobridor") ser galardoado com um disco de platina e outro de ouro nos dois últimos anos. Feitas as contas, já vendeu mais de 120 mil discos só na Holanda.
25 de Junho de 2003 às 00:00
Cristina Branco não gosta do rótulo de fadista
Cristina Branco não gosta do rótulo de fadista FOTO: José Barradas
O feito é tanto mais relevante se tivermos em conta que Cristina Branco nunca alcançou um lugar de relevância no "top" português, nem tão pouco recebe convites para tocar cá. Por ironia, actua amanhã na mais prestigiada sala holandesa, o Teatro Concertgebow, em Amesterdão, ao lado de uma das mais conceituadas instrumentistas do país, Pauline Oosterijk.
Até hoje, as suas passagens por Portugal, como a própria diz, "têm-se resumido a efémeras apresentações discográficas e por exigência própria. Nunca aconteceu receber um convite de uma sala de espectáculos em Portugal", conta ao CM Cristina Branco que, no entanto, diz não guardar qualquer frustração ou ressentimento.
"Não se podem pôr as coisas nesses termos, até porque isso criaria uma relação de mal-estar com o meu País e não é isso que pretendo. A verdade é que sempre comecei de fora para dentro e nunca tive qualquer ambição em relação a Portugal. Se um dia isso acontecer será por vontade das pessoas e não por que me queira impor", diz.
SEM MÃOS A MEDIR
Com uma relação muito próxima com a Holanda, Cristina explica que tudo começou há seis anos quando a viram cantar na televisão. "Um amigo que trabalhava na RTP convidou-me para ir ao programa da manhã. O programa passou na RTP Internacional e fui vista por uma pessoa que, curiosamente, procurava uma voz nova para as festas das comemorações do 25 de Abril aqui na Holanda. Confesso que na altura vim mais pela curiosidade de conhecer novas culturas do que pela ideia de fazer carreira", recorda.
Entretanto, as coisas foram evoluindo de sala em sala e hoje já não tem mãos a medir. "A minha agenda faz-se com dois anos de antecedência. Já tenho, por exemplo, o calendário de 2004 feito".
"Sempre a cantar em português", Cristina Branco não gosta do rótulo de fadista e diz que as pessoas vão a um concerto seu para ouvir um recital de música. "Mesmo nas discotecas, os meus discos aparecem na secção de jazz ou clássica e nunca no fado".
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)