Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
4

DA IDADE MÉDIA AO MODERNISMO

Vasco Graça Moura é o responsável pela selecção de títulos da colecção “Grandes Clássicos da Literatura Portuguesa” com que a editora Planeta DeAgostini se propõe cobrir o melhor da Língua de Camões, da Idade Média ao Modernismo.
27 de Fevereiro de 2003 às 00:00
Camões é, obrigatório, escritor contemplado com os”Sonetos” e “Os Lusíadas” mas há mais, nomeadamente, Gil Vicente, Almeida Garrett, Alexandre Herculano, Camilo Castelo Branco, Júlio Dinis, Antero de Quental, Eça de Queirós, Aquilino Ribeiro e Fernando Pessoa. Depois da colecção de contemporâneos, organizada por Urbano Tavares Rodrigues, o escritor passou a pasta a Vasco Graça Moura, a quem coube eleger títulos e autores.

O processo é o mesmo, ou seja, os livros são comercializados em postos de venda de jornais e revistas, têm periodicidade quinzenal e uma promoção de lançamento que liberta dois pelo preço de um, leia-se 4,99 e, posteriormente, 7,99. E os títulos em estreia são “Amor de Perdição” e “Poesia de Álvaro de Campos”, respectivamente, de Camilo Castelo Branco e Fernando Pessoa.

Graça Moura não só elegeu os clássicos da literatura portuguesa que compõem esta abrangente colecção, como ainda os dotou de uma nota biobibliográfica de cada autor.

O resultado é “um património literário único sob uma encadernação de luxo com sobrecapa e gravações a ouro e a garantia de textos fidedignos em todos os títulos”, de acordo com a apresentação dos editores.
Vasco Graça Moura, recorde-se, nasceu no Porto em 1942 e licenciou-se em Direito mas a sua carreira fez-se na literatura, onde o seu nome é referência, sobretudo, em três frentes: poesia, ficção e ensaio. Em 1975 era secretário de Estado e, em 1988, responsável pela Comissão Nacional para a Celebração dos Descobrimentos.
Ver comentários