Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
6

Delta Tejo encerra com noite animada

Encerrou este domingo mais uma edição do Delta Tejo, que contou com actuações de cantores e bandas de países do Hemisfério Sul e com muita animação à mistura. O festival recebeu cerca de 16 mil pessoas no primeiro dia, 17 mil no segundo e acabou por atingir os 20 mil no último dia, a quem não faltaram pessoas ilustres como o nadador Simão Morgado e Margarida Pinto Correia.
5 de Julho de 2010 às 21:58
Depois de um início morno, o festival aqueceu
Depois de um início morno, o festival aqueceu FOTO: Gonçalo Villaverde

Depois de um arranque morno no primeiro dia, o Alto da Ajuda, em Lisboa, foi invadido no domingo por um público maioritariamente brasileiro que, deixando a sua derrota contra a Holanda no Mundial para trás, dançaram tarde e noite os ritmos funk e samba. A actuação mais esperada pela maioria foi a de Martinho da Vila.

Simão Morgado disse ao CM que, apesar de ser a sua primeira vez neste festival, “gostou bastante e foi muitíssimo bem recebido”. Pelo contrário, Margarida Pinto Correia já estava familiarizada com este evento quando, numa outra edição, assistiu ao concerto de Luís Represas. Ao CM, confessou também que “adora o ambiente que este festival acarreta” e esperava ansiosamente a actuação de Martinho da Vila e Cacique’97.

O dia de encerramento contou com a presença de Paulo Flores, Martinho da Vila e Asa de Águia, entre outros. Todos estes concertos foram vividos de forma animada e com muita dança à mistura. O público vibrou com o clássico mais esperado de Martinho da Vila, 'Já tive Mulheres' e não havia ninguém que não tivesse a letra da música na ponta da língua.

Asa de Águia também teve bastante sucesso entre a plateia brasileira que estava também bastante familiarizada com os temas deste grupo. E foi assim que o Palco Principal encerrou, não sendo por isso sinónimo de fim de festa que continuou no palco Beck’Stage, com a actuação do grupo angolano Batida.

A noite ainda continuou até perto das 02h30 com ritmos de Kuduro. O grupo Batida tinha entre os seus elementos vários dançarinos africanos com trajes tradicionais, caras pintadas e saias de palha que foram bastante apreciados pelos sobreviventes deste dia.

Para finalizar em grande actuou o cantor Puto Prata que, em conjunto com os dançarinos Pupilos do Kuduro, saiu do palco para o meio da plateia, juntando-se aos fãs a dançar a “dança da família”.

Foi assim que o Delta Tejo, apresentando um cartaz com Buraka Som Sistema, Shaggy, Ana Carolina, Nneka, Grupo Revelação e Martinho da Vila, encerrou esta sua quarta edição onde não faltou boa disposição, dança, muitos ritmos quentes e, claro está, o típico sabor do café.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)