Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
6

Depois da euforia veio a bonança

Pela segunda noite consecutiva, o centro de Lisboa animou-se ontem, com uma movimentação de jovens mais ou menos permanente entre as cinco salas da avenida da Liberdade que serviram de palco ao festival Super Bock em Stock, que terminou às primeiras horas de hoje.

5 de Dezembro de 2008 às 00:30
Grávida de seis meses, Phoebe teve uma actuação electrizante
Grávida de seis meses, Phoebe teve uma actuação electrizante FOTO: Tiago Sousa Dias

Depois do corrupio da noite de quarta-feira, desta vez o público foi mais selectivo, ‘atacando’ desde cedo os espaços onde os seus favoritos iriam actuar. No S. Jorge, a noite arrancou com João Coração – uma agradável surpresa, que terminou à capela, fora do palco, entoando um blues com a letra ‘Porque vens se não queres casar?’ –, que se apresentou para não mais de duas dezenas de fiéis.

As maiores expectativas recaíam sobre Phoebe (a ex-Nouvelle Vague expulsa por mau comportamento), Deolinda e Zita Swoon, estes últimos com o atractivo especial de actuarem ‘in a box’ – rodeados de público por todos os lados.

Mesmo grávida de seis meses, Phoebe fez um concerto electrizante no S. Jorge. Do outro lado da avenida, no Tivoli, Marcelo Camelo tinha menos gente, mas no Teatro Variedades Lykke Li conseguiu esgotar e à hora de fecho desta edição previa-se uma enchente no Tivoli para os Walkman.

No início da noite, o ambiente era mais calmo do que na quarta-feira – chegou a haver protestos quando o Maxime esgotou a lotação –, com cerca de mil pessoas a animarem o centro de Lisboa, o que intrigou os turistas espanhóis. Felizes estavam os donos dos restaurantes da zona e Luís Montez, da Música no Coração, que fez um 'balanço positivo'.

 

Ver comentários