Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
2

Dinossauros lutam por título mundial

O título do maior dinossauro do Mundo está a ser disputado por dois gigantes: o actual detentor, Argentinosaurus huinculensis, e o rival – agora apresentado – Puertasaurus reuili.
25 de Julho de 2006 às 00:00
O Puertasaurus é o maior dinossauro que se conhece
O Puertasaurus é o maior dinossauro que se conhece FOTO: Carlos Alvear, Epa
Com quase 40 metros de comprimento e pesando entre 80 a 100 toneladas, o Puertasaurus foi apresentado ao Mundo na capital argentina, Buenos Aires.
Após o estudo minucioso das quatro vértebras (uma do pescoço, outra das costas e duas da cauda), achadas em 2001 perto do Lago Viedma, na província de Santa Cruz, Argentina, o paleontólogo Fernando Novas garante que o Puertasaurus é o maior da sua espécie até hoje encontrado. O estudo permitiu ainda estabelecer que esta espécie viveu há 70 milhões de anos na Patagónia.
“Uma das quatro vértebras, correspondente à zona frontal das costas, dá-nos um dado concreto sobre o tamanho do animal. Tem 1,7 metros de largura, enquanto o Argentinosaurus mede apenas 1,3 metros. Uma vértebra deste tamanho nunca foi, até agora, documentada em qualquer outro dinossauro”, explicou Fernando Novas, do Museu Argentino das Ciências Naturais Bernardino Rivadavia.
“O Puertasaurus é, pelo menos, tão grande como o Argentinousaurus. É um rival”, garantiu o especialista, acrescentando: “Dentro do tórax do Puertasaurus podia alojar-se um elefante.” Este dinossauro pertenceu à família de herbívoros Titanosaurus, que desapareceram há 65 milhões de anos.
As conclusões de Fernando Novas não convencem, no entanto, os seus colegas. “As comparações de tamanho entre espécies diferentes devem ser feitas a partir de ossos análogos e a vértebra do Puertasaurus corresponde a uma parte desconhecida do Argentinousaurus”, especificou o paleontólogo, também argentino, Rodolfo Coria.
“Não há dúvidas de que as vértebras achadas correspondem a um dinossauro de grande porte, mas é muito arriscado determinar uma nova espécie com tão poucos ossos”, adiantou.
A Argentina é um país que possui um enorme legado arqueológico e paleontológico. Nos últimos anos tem vindo, aliás, a transformar-se num dos locais do Mundo com mais achados de fósseis, o que contribui, significativamente, para o conhecimento da evolução animal no Planeta.
Neste país foram não só achados os fósseis do Argentinousaurus, que viveu há 98 milhões de anos no período do Cretáceo Médio, mas também o Eoraptor, um dos primeiros dinossauros do Mundo e, até agora, o mais pequeno conhecido. Do tamanho de um gato, tinha até um metro de comprimento e pesava dez quilos.
"UMA MINA DE DINOSSAUROS" (A. Galopim de Carvalho, geólogo)
Correio da Manhã – Já tinha conhecimento deste achado?
Galopim de Carvalho – Ainda não, mas a Argentina, graças às suas excepcionais condições ambientais, é uma mina de dinossauros.
– Qual a importância destas descobertas?
– É sempre importante o achado de mais um dinossauro, pois permite construir uma história. Sobretudo se for um achado novo, como é o caso.
– Ultimamente só se fala neste tipo de achado...
– Um achado é notícia. Existe um grande interesse por parte do público. Isto é importante, pois torna mais fácil obter crédito para a investigação.
Ver comentários