Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
9

Fundador do MegaUpload com site no Porto

Plataforma de música digital dará aos artistas 90% das receitas.
2 de Setembro de 2014 às 17:52
Kim Dotcom controla indiretamente 45% do capital da Baboom
Kim Dotcom controla indiretamente 45% do capital da Baboom FOTO: Getty Images

As negociações ainda decorrem, mas a ideia da Baboom Lda é lançar-se no mercado no primeiro trimestre de 2015, com músicas de 50 a 100 mil artistas e editoras independentes e com 500 mil a um milhão de utilizadores.

O projeto é ambicioso – não tivesse como mentor o polémico milionário Kim Dotcom, fundador do site de partilhas Megaupload – e promete agitar o mercado das plataformas de música digital. "Somos diferenciadores, porque o modelo de negócio dará aos artistas independentes 90 por cento das receitas, livre de qualquer tipo de encargos", explica ao CM Marco Oliveira, que lidera a equipa portuguesa, sediada no Porto.

O conceito deste serviço online, que irá concorrer com nomes conhecidos como o Spotify, é também dar liberdade aos artistas e às editoras para determinarem como querem ver o seu trabalho distribuído. As modalidades do serviço são várias, desde a venda de música em streaming, à que permite descarregar os temas. "Sendo que os artistas têm a liberdade de colocar os preços que quiserem ou até oferecer os conteúdos. Em síntese, a plataforma permitirá comprar, vender... ouvir", diz Marco Oliveira.

"Estamos ainda a trabalhar no motor financeiro do projeto", explica o também responsável pela componente tecnológica do site. Ainda assim, aponta que os custos para o utilizador não ficarão muito longe dos 7,5 euros (premium).

Apesar de Kim Dotcom controlar indiretamente 45 por cento do capital da Baboom, "não tem qualquer papel na gestão da empresa portuguesa", presidida por Grant Edmundson e com Tony Smith como diretor financeiro.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)