Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
6

Dulce Pontes brilhante e poderosa

A actuação de Dulce Pontes, sexta-feira, no Casino Lisboa, marcou a estreia na capital do novo disco, ‘O Coração tem 3 Portas’.
5 de Novembro de 2006 às 00:00
Num concerto de hora e meia, Dulce passeou-se pelo fado e folclore e revisitou Amália e Zeca Afonso. Mas foi, sobretudo, a potente voz que mais brilhou. Como um rei Midas, em cada tema que toca, Dulce transforma-o em ouro e, a maioria deles, poderia cantá-los sem amplificação numa sala como o Auditório dos Oceanos.
Mas a sua aposta está mesmo em vestir as canções com roupagens inesperadas. Para isso socorre-se de instrumentações criativas, manipulação sonora e de um grupo de competentes músicos.
O concerto começou com a cantora ao piano em ‘Há Festa na Mouraria’. Depois, acompanhada pela guitarra portuguesa e viola, cantou do folclore ‘Resineiro’ e ‘A Tendinha’, fado popularizado por Hermínia Silva. Seguiram-se mais fados e três temas de Zeca Afonso. Somada cerca de uma dúzia de canções, Dulce despediu-se com um extra, ‘Canção do Mar’, para agrado de todos.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)