Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
6

Dylan premiado

O homem que o Mundo conhece como Bob Dylan e que se tornou uma referência incontornável da música popular durante os anos 60, acaba de acrescentar mais um prémio a uma carreira já cumulada deles: o Prémio Príncipe das Astúrias, que tem um valor monetário de 50 mil euros e ao qual concorriam também artistas como Maria João Pires e Cesária Évora.
14 de Junho de 2007 às 00:00
O cantor americano já actuou três vezes no nosso país
O cantor americano já actuou três vezes no nosso país FOTO: Niels Melivang/EPA
Aliás, entre os 58 candidatos ao galardão deste ano havia nomes tão sonantes quanto os de Clint Eastwood, Emir Kusturica, Ennio Morricone, Caetano Veloso ou Fernando Arrabal. O júri, porém, decidiu distinguir Dylan pela importância que o seu trabalho assumiu durante os anos 60 e por se ter insituído como o símbolo de uma geração que quis mudar o Mundo.
O autor de temas como ‘Knocking on the Heaven’s Door’ ou ‘Like a Rolling Stone’ foi, durante a década de 60, uma das vozes mais ásperas contra a guerra do Vietname: temas como ‘Blowin’ in the Wind’ e ‘The Times They’re a-changin’’, tornaram-se verdadeiros hinos pacifistas.
A carreira de Bob Dylan passou, porém, por momentos diferentes: nos anos 70 ‘electrificou’ o seu som e o teor das suas canções tornou-se mais pessoal, com o músico a voltar-se para questões como as desilusões amorosas ou a conquista da liberdade pessoal. O seu mais recente álbum, ‘Modern Times’, data de 2006, foi campeão de vendas.
PERFIL
Nascido Robert Allen Zimmerman, em 1941, no Minessota, EUA, escreveu os primeiros poemas aos 10 anos. Adolescente, aprendeu a tocar piano e guitarra sozinho e adoptou o nome Dylan como forma de homenagear o seu poeta preferido, o irlandês Dylan Thomas. A sua obra compreende mais de 45 discos. Já actuou três vezes em Portugal.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)