Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
2

Estado investiu 213 mil € em arte

Adquiridas doze obras desde agosto de 2014.
Teresa Oliveira 28 de Junho de 2015 às 09:15
Centro de mesa da Casa Veyrat foi a peça mais dispendiosa e está agora no Palácio da Ajuda
Centro de mesa da Casa Veyrat foi a peça mais dispendiosa e está agora no Palácio da Ajuda FOTO: Sérgio Lemos
A Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) adquiriu, entre agosto de 2014 e 15 de junho deste ano, doze obras de arte, num investimento total de 213 450 euros.

As aquisições destinaram-se a integrar as coleções e exposições do Museu Nacional de Arte Antiga, Palácio Nacional da Ajuda, Museu Nacional de Arte Contemporânea – Museu do Chiado, Palácio Nacional de Mafra e o Museu Nacional Soares dos Reis.

A maioria das peças de arte são da autoria de artistas portugueses, mas há exceções. Em dezembro de 2014, a peça mais valiosa [55 mil euros] que a DGPC adquiriu para o Palácio Nacional da Ajuda foi o centro de mesa A. Veyrat. A obra integrava, na origem, a baixela de prata francesa da Casa Veyrat, encomendada pela casa real italiana para D. Maria Pia, por ocasião do seu casamento com o rei D. Luís I, em 1862. Ainda em 2014, e no mesmo mês, o Museu do Chiado ganhou uma obra de João Tabarra, no valor de 30 mil euros.

Já em março de 2015 foi adquirido para o Museu Nacional de Arte Antiga uma obra pictórica atribuída ao Mestre de Santa Clara, no valor de 35 mil euros. Mais recentemente, a 1 de junho, o mesmo museu ganhou uma papeleira de cilindro de D. Maria I, adquirida pela DGPC por 28,6 mil euros.
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)