Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
9

Falta verba à Casa Fernando Pessoa

A directora da Casa Fernando Pessoa, Inês Pedrosa, pediu ao presidente da Câmara Municipal de Lisboa, António Costa, para que a entidade seja transformada em fundação municipal, visto que isso permitiria contabilidade própria e a aplicação das receitas que consegue fazer.

11 de Junho de 2008 às 00:30
A directora da Casa Fernando Pessoa, Inês Pedrosa, quer que a entidade possa gerir as suas próprias receitas
A directora da Casa Fernando Pessoa, Inês Pedrosa, quer que a entidade possa gerir as suas próprias receitas

Esta é a solução, segundo declarações de Inês Pedrosa ao CM, para responder às dificuldades financeiras com que se debate a Casa Fernando Pessoa numa altura em que decorrem as comemorações do 120º aniversário do escritor, nascido a 13 de Junho de 1888. No encontro, realizado há menos de um mês, esteve, além de António Costa – que terá mostrado disponibilidade para estudar a mudança de estatuto –, a vereadora da Cultura, Rosália Vargas.

PAPEL HIGIÉNICO

Apesar desta reivindicação, Inês Pedrosa salienta ter "todo o apoio da Direcção Municipal de Cultura", patente em aspectos tão caricatos quanto a cedência de toalhas de papel para as casas de banho da Casa Fernando Pessoa. "Enviaram 25 rolos de papel higiénico em Fevereiro e disseram que era para durar até final de Maio", lembra a escritora, que no início deste ano substituiu Francisco José Viegas.

Perante um orçamento de apenas 35 mil euros para todas as actividades ao longo deste ano, a programação do 120º aniversário de Fernando Pessoa só não se ressentiu devido ao apoio do grupo editorial Leya – que financiou uma série de filmes que estão a ser exibidos pela RTP – e à boa-vontade dos funcionários, que trabalham por sistema para lá do horário e sem remuneração extra, e de particulares. Inês Pedrosa lembra mesmo o caso de uma empresa que preferiu oferecer a impressão de um catálogo do que "acrescentar uns números à dívida da Câmara de Lisboa".

POEMAS NA VERSÃO HIP HOP

Uma das iniciativas com que a Casa Fernando Pessoa assinala os 120 anos do nascimento do poeta é o concerto ‘Hip Hop Pessoa’, marcado para sexta-feira no Terreiro do Paço, a partir das 22h00. Além da participação de figuras do hip hop nacional como Melo D., Maze e Fuse (ambos dos Dealema), Raptor ou Rocky Marsiano a musicar poemas do heterónimo Álvaro de Campos, o evento, que resulta de uma colaboração com a editora discográfica Loop: Recordings (que deverá lançar um álbum de homenagem ao poeta em Setembro), prevê, a partir das 18h00, a pintura de grafittis alusivos à iconografia pessoana. Segundo Inês Pedrosa, pretendeu-se "uma actividade que atingisse os mais jovens".

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)