Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura
1

Fantasporto investigado

Organização do festival acusada de fugir ao fisco, de duplicar faturas e de falsificar dados.
6 de Setembro de 2013 às 01:00
Mário Dorminsky, diretor do festival de cinema
Mário Dorminsky, diretor do festival de cinema FOTO: Amândia Queirós

Mário Dorminsky, diretor do Fantasporto, foi acusado de "fugir ao IVA na venda de produtos, como livros, DVD, de bilhetes e ainda de "duplicação de faturas enviadas para os organismos públicos que apoiam o festival e contas bancárias paralelas". A denúncia, revelada pela ‘Visão’, chegou de forma anónima ao Instituto do Cinema e Audiovisual (ICA).

Ao CM, Dorminsky diz "aguardar instruções do advogado", sendo que, para já, desmente as acusações de ilegalidades no funcionamento e organização do festival, como falsificação do número de telespectadores. A denúncia chegou ao ICA em maio, que no mesmo mês a "reencaminhou para a Inspeção-Geral das Atividades Culturais (IGAC) e para a Autoridade Tributária", confirma ao CM fonte do ICA.

Dorminsky disse à Lusa que "nunca foi cometida nenhuma ilegalidade" na gestão da cooperativa Cinema Novo, que organiza o Fantasporto, pelo qual é responsável com a mulher Beatriz Pacheco Pereira. "Tudo será esclarecido de forma inequívoca e sustentada".

O Correio da Manhã tentou obter um comentário do IGAC, mas até ao fecho da edição não foi possível.

Fantasporto Mário Dorminsky cinema IVA festival cultura
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)