Barra Cofina

Correio da Manhã

Cultura

"Fernando Pessoa é a literatura”

Mariano Deidda descobriu o poeta do desassossego há duas décadas, mas no concerto do dia 5, no Centro Cultural de Belém, a surpresa é David Mourão-Ferreira.
27 de Novembro de 2008 às 00:30
'Fernando Pessoa é a literatura”
'Fernando Pessoa é a literatura” FOTO: Jorge Paula

Correio da Manhã – O que é o Projecto Pessoa?

Mariano Deidda – É a razão por que ando há dez anos a musicar literatura. O projecto, em si, é aberto e inesgotável. Além da trilogia ‘Deidda interpreta Pessoa’, há um concerto gravado ao vivo e, para breve, uma homenagem a partir de ‘Mensagem’, a obra-prima do poeta sobre a história do seu país. Pessoa é o D. Sebastião, aquele que vai resgatar o prestígio do País no Mundo.

– Muito diferente da sua estreia, o álbum do ano de 1998 em Itália?

– Muito! Foi um meio para atingir um fim, um caminho para chegar onde estou. Há dez anos, Itália não estava preparada para ouvir falar de poesia. Ainda não está e a poesia continua elitista porque é o que fazem dela. O disco inicial foi uma concessão ao mercado. Tem um género musical indefinido, entre o  electrónico e o acústico, mas com uma canção, ‘Porto Santo’, em que um quarteto de cordas anuncia já o que faço e quero continuar a fazer: musicar e interpretar Pessoa.

– Mas temos mais do que Pessoa. Portugal é um País de poetas, costuma dizer-se...

– Pessoa é a literatura. Não há maior nem melhor. Ele inventou a literatura. Esteve sempre um passo à frente do seu tempo, o que faz com que me pergunte: tendo já sido escritas as mais belas palavras, que vou eu escrever? Até que venha nova geração capaz de fazer melhor, não sinto que eu possa escrever.

– Descobriu Pessoa durante os anos em que viveu em Lisboa?

– Muito antes, em 1985, encontrei por acaso um roteiro turístico de Pessoa. Encantou-me tanto que não descansei enquanto não descobri o que escrevia de maior quem já era grande a escrever livros menores... E fui fulminado pelo ‘Livro do Desassossego’.

– Como será o concerto de dia 5 no Centro Cultural de Belém?

– Como este é o ano dos 120 anos de Pessoa e o dos 100 de Cesare Pavese  vou cantar ambos. O concerto começa com Pessoa e fica com ele por meia hora. Muda para Pavese durante uns 15 minutos e volta a Pessoa para fechar com uma surpresa: David Mourão-Ferreira. Poeta de que gosto muito e de quem já musiquei cinco poemas. Qualquer dia, ouvem-nos.

PERFIL

Mariano deidda é um dos músicos de maior renome da nova música de autor italiana. Em 1998, estreou--se com ‘L’Era dei Replicanti’, distinguido como Álbum do Ano e apresentado em Lisboa durante a Expo’98. Desde 2000 que trabalha e viaja com o Projecto Pessoa, sempre, em aberto... Acaba de editar ‘Deidda canta Grazia Deledda’ mas não o vai cantar em Portugal.

 

 

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)